Do pageant da greve de Paterson à Frente Popular

apontamentos sobre o teatro operário nos EUA

  • Fernando Bustamante Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Teatro operário, Agitprop, Frente Popular, Paterson strike pageant

Resumo

O acirramento da luta de classes em escala mundial no início do século XX, com o crescimento do movimento operário em partidos e sindicatos de massas, a Primeira Guerra Mundial e, principalmente, a revolução socialista na Rússia e as revoluções alemãs derrotadas agudizaram conflitos políticos e ideológicos também no campo das artes. O teatro operário trouxe revoluções estéticas na Europa, mas também nos Estados Unidos. O pageant da greve de Paterson foi um evento precursor, e as décadas de 1920 e 1930 aceleraram o desenvolvimento das novas formas cênicas, bem como os debates acerca destas. Contudo, a política de Frente Popular adotada pela Comintern e pelo Partido Comunista Americano, com a consequente integração deste e seus apoiadores à base de apoio do governo Roosevelt, atuam na contramão dos avanços políticos, estéticos e organizativos. Este artigo apresenta algumas questões que marcaram esse complexo processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Bustamante, Universidade de São Paulo

Doutorando em Letras em Estudos Linguísticos e Literários pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humana da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP)

Publicado
2019-08-30
Como Citar
Bustamante, F. (2019). Do pageant da greve de Paterson à Frente Popular. Sala Preta, 19(1), 121-133. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v19i1p121-133
Seção
EM PAUTA