CPC e MST

formas e dinâmicas produtivas do teatro político brasileiro em dois tempos históricos

  • Rafael Litvin Villas Bôas Universidade de Brasília
Palavras-chave: Teatro político, Cultura política, Dinâmica produtiva

Resumo

O artigo tem como objetivo refletir sobre as condições de produção e sobre a evolução das formas a partir da experiência concreta de trabalho teatral, articuladas à demandas de organizações políticas, considerando as experiências dos anos 1960, em particular do Centro Popular de Cultura da União Nacional dos Estudantes, em chave comparativa com a experiência teatral desenvolvida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e coletivos de teatro a ele vinculados. O argumento visa articular a narrativa das experiências com o esforço editorial de divulgar o trabalho de teóricos, diretores e de organizações emblemáticas do teatro político brasileiro e internacional, e pretende apontar características semelhantes entre as organizações, a despeito das diferenças de contextos, que sinalizam providências de construção de uma cultura política popular no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Litvin Villas Bôas, Universidade de Brasília

Professor doutor de Literatura e Teatro da Universidade de Brasília (UnB). Leciona nos programas de pós-graduação em Artes Cênicas (PPG-AC) e Mestrado Profissional em Artes (UnB) e Desenvolvimento Territorial da América Latina e Caribe (Unesp/Escola Nacional Florestan Fernandes). Coordenador do Coletivo Terra em Cena e da Escola de Teatro Político e Vídeo Popular do Distrito Federal

Publicado
2019-08-30
Como Citar
Bôas, R. (2019). CPC e MST. Sala Preta, 19(1), 150-162. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v19i1p150-162
Seção
EM PAUTA