Da instalação coreográfica à cena frontal: notas sobre o experimento “Ditos e Malditos”

Autores

  • Flavia Pilla do Valle Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v11i1p178-185

Palavras-chave:

dança, work in progress, Terpsí.

Resumo

Este texto traça considerações acerca da obra Ditos e Malditos da Companhia Terpsí Teatro de Dança, sediada em Porto Alegre. Traz um olhar para o processo de desdobramento de duas versões, A Instalação e os Desejos da Clausura, desenvolvidas de 2008 a 2010. Destaca a perspectiva do work in progress da obra e aponta o uso do espaço e dos elementos cênicos como um dos principais dispositivos desta transformação, assim como um dos principais estímulos para a seleção dos movimentos corporais que compõem a dança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-21

Como Citar

Valle, F. P. do. (2011). Da instalação coreográfica à cena frontal: notas sobre o experimento “Ditos e Malditos”. Sala Preta, 11(1), 178-185. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v11i1p178-185

Edição

Seção

DOSSIÊ ESPETÁCULO