[1]
A. Kon, “2018, primeiro como farsa, depois como tragédi”a, Sala Preta, vol. 19, nº 1, p. 315-338, ago. 2019.