Racismo e Intolerância Religiosa: Representações do Xangô nos jornais de Maceió entre 1905 e 1940

Autores

  • Lwdmila Constant Pacheco

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2015.102435

Palavras-chave:

Racismo, intolerância religiosa, Maceió

Resumo

Esse trabalho busca explicitar as expressões linguísticas com que o Xangô em Maceió foi representado nos jornais de grande circulação, principalmente no Jornal de Alagoas, entre os anos de 1905 e 1940. O objetivo é destacar o discurso racista com que se referiam às religiões de matriz africana e de como esse se expressava em práticas racistas que incitaram a violência ocorrida no ano de 1912 e o seu prolongamento no tempo, com maior intensidade nos anos de 1930. Tal constatação tem o intuito não só de demarcar o racismo na linguagem escrita da mídia da época, como provocar a discussão sobre as consequências em relação à incitação da violência. Isto é, compreender a função que a linguagem exerce na formação de concepções enraizadamente racistas e eurocêntricas na população alagoana das primeiras décadas do século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lwdmila Constant Pacheco

Psicóloga formada pela UFAL, pós graduada em História Social do Poder pela UFAL, mestra em Psicologia Social e Política pela Universidade Federal de Sergipe.

Downloads

Publicado

2015-08-17

Como Citar

Pacheco, L. C. (2015). Racismo e Intolerância Religiosa: Representações do Xangô nos jornais de Maceió entre 1905 e 1940. Sankofa (São Paulo), 8(15), 80-109. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2015.102435

Edição

Seção

Artigos