Liberdade, Liberdades: Dilemas da Escravidão na Sabinada (Bahia, 1837-1838)

Autores

  • Juliana Serzedello Crespim Lopes Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2010.88779

Palavras-chave:

Brasil, Século XIX, Bahia, século XIX, Revoltas regenciais, Raça, Escravidão

Resumo

Este trabalho propõe a investigação das relações escravistas desenvolvidas ao longo da revolta liberal conhecida como Sabinada (Bahia, 1837-1838). A análise basear-se-á na documentação produzida pelos próprios envolvidos no movimento separatista baiano, bem como nas fontes referentes à repressão do movimento, de modo que se ofereça um panorama comparativo. A intenção é compreender as relações escravistas em um meio político predominantemente liberal, assim como a importância das marcas sociais de cor entre os envolvidos no episódio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Serzedello Crespim Lopes, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Mestre em História Social pela FFLCH/USP, é professora do Centro Paula Souza de Educação Tecnológica (CEETEPS-SP) e educadora do Museu Afro Brasil.

Downloads

Publicado

2010-12-06

Como Citar

Lopes, J. S. C. (2010). Liberdade, Liberdades: Dilemas da Escravidão na Sabinada (Bahia, 1837-1838). Sankofa (São Paulo), 3(6), 26-44. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2010.88779

Edição

Seção

Artigos