O Reino do Ndongo no Contexto da Restauração: Mbundus, Portugueses e Holandeses na África Centro Ocidental

Autores

  • Flávia Maria de Carvalho Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2011.88793

Palavras-chave:

História de Angola, Reino do Ndongo, Elites políticas africanas, Administração portuguesa.

Resumo

O principal objetivo do artigo é analisar as relações estabelecidas entre os governadores e funcionários da Coroa portuguesa e as autoridades locais do reino do Ndongo, no período de 1640 (Restauração portuguesa) a 1671 (fim da autonomia política da região). O período foi marcado por uma série de conflitos como as invasões holandesas nos territórios que posteriormente passaram a ser chamados de Angola, e embates travados entre religiosos da Companhia de Jesus e capuchinhos italianos que contestavam o monopólio do missionarismo português na África Centro Ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Maria de Carvalho, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em História da Universidade Federal Fluminense desenvolve pesquisas sobre as relações entre os governadores e demais funcionários da Coroa portuguesa e as elites políticas de Angola nos séculos XVII e XVIII, com projeto intitulado “Elites política angolanas: ngolas, sobas, macotas, macunzes e tandalas na dinâmica dos governos portugueses séculos XVII e XVIII”, orientado pela Profª Drª Mariza de Carvalho Soares. Mestre em História pela mesma instituição, com dissertação intitulada “Violência e corpo escravo: impasses nas experiências coloniais ilustradas - Rio de Janeiro e Angola na segunda metade do século XVIII”, orientada pelo Prof. Dr. Luciano Raposo de Almeida Figueiredo.

Downloads

Publicado

2011-07-06

Como Citar

Carvalho, F. M. de. (2011). O Reino do Ndongo no Contexto da Restauração: Mbundus, Portugueses e Holandeses na África Centro Ocidental. Sankofa (São Paulo), 4(7), 7-28. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2011.88793

Edição

Seção

Artigos