A representação social da escravidão nos museus brasileiros: interfaces entre a Museologia e a História

Autores

  • Janaina Cardoso de Mello Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2013.88893

Palavras-chave:

Escravidão, Museu, Representação social

Resumo

O artigo apresenta um estudo das representações da escravidão nos museus brasileiros em seus aspectos simbólicos, políticos e culturais na perspectiva de uma interface entre a Museologia e a História, refletindo sobre o papel político-cultural dos museus na sociedade brasileira. Assim, o estabelecimento de um diálogo com a produção historiográfica sobre a escravidão na sociedade brasileira permite discutir as representações sociais da escravidão nos museus brasileiros, com ênfase na realidade sergipana, para então se pensar novas possibilidades para uma expografia que contemple a pluralidade cultural afro-brasileira nos museus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janaina Cardoso de Mello, Universidade Federal de Sergipe

Profa .Dra.da Universidade Federal de Sergipe

Downloads

Publicado

2013-01-06

Como Citar

Mello, J. C. de. (2013). A representação social da escravidão nos museus brasileiros: interfaces entre a Museologia e a História. Sankofa (São Paulo), 6(10), 43-59. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2013.88893

Edição

Seção

Artigos