Os africanos livres na Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema: Funções, Origens Étnicas e Rotina de Trabalho (1840-1850)

Autores

  • Mariana Alice Pereira Schatzer Ribeiro Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências e Letras- Campus de Assis

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2013.88940

Palavras-chave:

Africanos livres, Ipanema, Escravidão, Experiências

Resumo

O presente artigo analisa a experiência dos africanos livres, na Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema, em Sorocaba-SP, entre 1840 a 1850. Para tal, abordo, primeiramente, as questões sociais e políticas que originaram este grupo específico. Em seguida, amparada pelas fontes presentes no Arquivo Público do Estado de São Paulo, avalio a trajetória dos trabalhadores no empreendimento fabril como funções, data de chegada, e principalmente as origens étnicas dos mesmos, tendo em vista a demasiada importância que representam na diáspora. Nesse sentido, os africanos tinham a consciência de sua condição jurídica de “livre”, mas na prática para o Estado Imperial brasileiro eram apenas mais um grupo de escravos lutando por sua liberdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Alice Pereira Schatzer Ribeiro, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências e Letras- Campus de Assis

Mestranda em História- UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências e Letras- Campus de Assis. Bolsista FAPESP

Downloads

Publicado

2013-12-06

Como Citar

Ribeiro, M. A. P. S. (2013). Os africanos livres na Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema: Funções, Origens Étnicas e Rotina de Trabalho (1840-1850). Sankofa (São Paulo), 6(12), 6-38. https://doi.org/10.11606/issn.1983-6023.sank.2013.88940

Edição

Seção

Artigos