Acidentes de Motocicletas e sua relação com o trabalho: revisão da literatura

Autores

  • Ivan Dieb Miziara Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho
  • Carmen Silvia Molleis Galego Miziara Faculdade de Medicina do ABC
  • Lys Esther Rocha Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho; Faculdade de Medicina do ABC

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v19i2p52-59

Palavras-chave:

Motocicletas, Acidentes de trânsito, Mortalidade, Mortalidade ocupacional.

Resumo

Introdução: na última década, no Brasil, vem-se observando um importante aumento do número de acidentes envolvendo motocicletas, veículo que ganha cada vez mais aceitação e aprovação da população, por ser ágil e de baixo custo. Objetivo: o objetivo deste estudo foi, através de revisão da literatura, descrever os principais aspectos dos acidentes de trânsito com motocicletas e sua relação com o trabalho. Método: trata-se de estudo descritivo realizado por revisão de literatura nas principais bases de dados de livre acesso. Os critérios de inclusão foram artigos científicos e publicações dos últimos 10 anos, pricipalmente, com dados brasileiros ou de outros países. Os textos selecionados foram em português, inglês e espanhol e os descritores utilizados foram: motocicleta, acidente de trânsito, acidente de trabalho, epidemiologia, mortalidade e mortalidade ocupacional. Resultados: a motocicleta representa, no Brasil, um meio de transporte socialmente importante, especialmente para a classe trabalhadora, que a utiliza para transporte próprio ou como meio de prestação de serviços como mototaxi, motoboy ou motofrete. O perfil dos acidentados com uso de motocicletas tem, em geral, é do sexo masculino, jovem (20 a 30 anos), com baixa escolaridade e que veem no trabalho de motoboy ou mototaxi a oportunidade de se inserir no mercado de trabalho e de conseguir sustento para si e para a família. Os motociclistas trabalham principalmente no ramo de transporte de alimentos e para drogarias. Como fatores de risco, foram identificados: alta exposição a riscos de toda sorte (físicos, químicos, psicossociais); dirigir em situações de cansaço físico e mental, consumo prévio de álcool, jornadas expandidas horas diárias. Os motociclistas nem sempre possuíam registro em carteira profissional e em poucos casos foi emitida a comunicação de acidente de trabalho. Conclusão: são poucos os estudos realizados no Brasil que abordam os aspectos sobre o trabalho dos motociclistas. Entretanto, acreditamos que o primeiro passo precisa ser dado, e ele se apoia em um tripé de ações proativas: educação dos motoboys (com curso de direção defensiva, como determina a atual legislação); orientação dirigida a patrões e consumidores com campanhas de esclarecimento; e fiscalização rigorosa dos órgãos municipais e federais, ligados ao Ministério do Trabalho, sobre as condições de trabalho a que esses profissionais estão submetidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Dieb Miziara, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho

Professor Associado do Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho da Faculdade de Medicina da USP.

Carmen Silvia Molleis Galego Miziara, Faculdade de Medicina do ABC

Professora Assistente da Disciplina de Medicina Legal, Bioética e Perícias Médicas da Faculdade de Medicina do ABC.

Lys Esther Rocha, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho; Faculdade de Medicina do ABC

Professora Titular da Disciplina de Saúde Ocupacional da Faculdade de Medicina do ABC e Professora Assistente do Departamento de Medicina Legal, Ética Médica e Medicina Social e do Trabalho da Faculdade de Medicina da USP.

Downloads

Publicado

2014-12-05

Como Citar

Miziara, I. D., Miziara, C. S. M. G., & Rocha, L. E. (2014). Acidentes de Motocicletas e sua relação com o trabalho: revisão da literatura. Saúde, Ética & Justiça (e-ISSN 2317-2770), 19(2), 52-59. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v19i2p52-59

Edição

Seção

Artigo