Uso do assento de segurança infantil no banco traseiro de automóveis: análise em escolas de Fortaleza

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v26i1p21-26

Palavras-chave:

Criança, Sistemas de Proteção para Crianças, Acidentes de Trânsito

Resumo

Objetivo: Avaliar o uso do assento de segurança infantil, bem como o conhecimento da resolução do CONTRAN nº 277, de 2008, pelos pais e responsáveis de alunos de determinadas escolas na cidade de Fortaleza – CE. Métodos: Os autores estudaram de forma observacional e transversal os aspectos da utilização do assento de segurança infantil, servindo-se da aplicação de questionários acompanhados de termo de consentimento, esclarecendo aos participantes os motivos da pesquisa. Foram distribuídos questionários aos responsáveis pelos alunos de determinadas escolas de Fortaleza, dentre os quais um montante de 156 questionários foram devidamente preenchidos e utilizados na avaliação dos resultados da pesquisa. Resultados: De acordo com a análise dos 156 questionários respondidos no estudo,  todos (100%) os participantes sabem da existência de dispositivos de segurança para transporte de crianças em automóveis. Noventa e um por cento conhecem a resolução do CONTRAN nº 277 de 2008, que regula o uso desses mecanismos. Dentre os participantes, 65,4% sempre fazem uso dos assentos, ao passo que 28,9% os utilizam apenas algumas vezes e em certas ocasiões. Para 26,9% e 14,1% dos entrevistados, o preço e o tamanho, respectivamente, poderiam ser diminuídos para melhorar a adesão dos usuários aos dispositivos de retenção infantil. Conclusão: Dentre os participantes da pesquisa, 94,3% fazem uso constante ou ocasionalmente do assento de segurança infantil. O preço e o tamanho do dispositivo são os itens que mais desfavorecem o seu uso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Sá Pinto da Nóbrega Lucena, Universidade de Fortaleza (Unifor)

Acadêmico de medicina do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Fortaleza, Fortaleza, Ceará, Brasil.

Armando Nicodemos Lucena Felinto, Universidade de Fortaleza (Unifor)

Acadêmico de medicina do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Fortaleza, Fortaleza, Ceará, Brasil.

Amanda Pires Bessa, Hospital Sofia Feldman

Neonatologista do Hospital Sofia Feldman, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Artur Henrique Soares da Silva Filho, Hospital Municipal Odilon Behrens

Ortopedista do Hospital Municipal Odilon Behrens, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Crícia Maria Lima Pontes Ferreira Gomes, Escola de Saúde Pública do Ceará

Residente de Pediatria da Escola de Saúde Pública do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil

Yuri Damasceno da Rocha, Universidade de Fortaleza (Unifor)

Acadêmico de Fisioterapia do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Fortaleza, Fortaleza, Ceará, Brasil.

Referências

Barros MDA, Ximenes R, Lima MLC. Mortalidade por causas externas em crianças e adolescentes: tendências de 1979 a 1995. Rev Saúde Pública. 2001;35(2):142–9. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102001000200007

Carneiro FM. Estatísticas de acidentes de trânsito ocorridos entre 2016 e 2018, com foco no número de mortes e faixa etária das vítimas [Internet]. Câmara dos Deputados; 2019. [Acesso em 2021 jun. 27]. Disponível em: estatisticas_acidentes_Carneiro.pdf

Rockwood CA, Wilkins KE, Beaty JH, Kasser JR, editors. Rockwood and Wilkins’ fractures in children. 6th ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2006.

Lund UJ. The effect of seating location on the injury of properly restrained children in child safety seats. Accid Anal Prev. 2005;37(3):435–9. DOI: https://doi.org/10.1016/j.aap.2004.12.004

Winston FK, Durbin DR, Kallan MJ, Moll EK. The danger of premature graduation to seat belts for young children. Pediatrics. 2000;105(6):1179–83. DOI: https://doi.org/10.1542/peds.105.6.1179

Arbogast KB, Durbin DR, Cornejo RA, Kallan MJ, Winston FK. An evaluation of the effectiveness of forward facing child restraint systems. Accid Anal Prev. 2004;36(4):585–9. DOI: https://doi.org/10.1016/S0001-4575(03)00065-4

Brasil. Ministério da Infraestrutura. Conselho Nacional de Trânsito. Resolução CONTRAN nº 854, de 08 de abril de 2021. Altera a Resolução CONTRAN nº 816, de 17 de março de 2021, que dispõe sobre os prazos de processos e de procedimentos afetos aos órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito e às entidades públicas e privadas prestadoras de serviços relacionados ao trânsito, por força das medidas de enfrentamento da pandemia de Covid-19 no Estado do Acre [Internet]. Brasília, DF; 2021. [Acesso em 2021 mai. 27]. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-contran-n-854-de-8-de-abril-de-2021-313199394%20

Oliveira SRL, Carvalho MDB, Santana RG, Kawazoe CH, Santos EQ, Oliveira FC. Análise de metodologias de pesquisa sobre utilização de assentos de segurança infantil: lições de um projeto piloto. Rev paul pediatr. 2008;26(2):119–23. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-05822008000200004

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997. Institui o Código de Trânsito Brasileiro [Internet]. Brasília, DF; 1997. [Acesso em 2021 mai. 27]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9503Compilado.htm

Yanchar NL, Kirkland SA, LeBlanc JC, Langille DB. Discrepancies between knowledge and practice of childhood motor vehicle occupant safety in Nova Scotia: A population-based study. Accid Anal Prev. 2012;45:326–33. DOI: https://doi.org/10.1016/j.aap.2011.07.020

Scheidler MG, Shultz BL, Schall L, Ford HR. Risk factors and predictors of mortality in children after ejection from motor vehicle crashes. J Trauma. 2000;49(5):864-8. DOI: https://doi.org/10.1097/00005373-200011000-00012

Greenberg-Seth J, Hemenway D, Gallagher SS, Ross JB, Lissy KS. Evaluation of a community-based intervention to promote rear seating for children. Am J Public Health. 2004;94(6):1009-13. DOI: https://doi.org/10.2105/ajph.94.6.1009

Winston FK, Chen IG, Smith R, Elliott MR. Parent driver characteristics associated with sub-optimal restraint of child passengers. Traffic Inj Prev. 2006;7(4):373–80. DOI: https://doi.org/10.1080/15389580600789143

Pickrell TM, Ye T. Child restraint use in 2008: use of correct restraint types. Wash-ington, DC: National Center for Statistics and Analysis, National Highway Traffic Safety Administration; 2009.

Olufunlayo TF, Odeyemi KA, Ogunnowo BE, Onajole AT, Oyediran MA. An obser-vational survey of child car safety practices in private pre-primary and primary schools in two local government areas of Lagos State, Nigeria. Inj Prev. 2012;18(4):216–20. DOI: https://doi.org/10.1136/injuryprev-2011-040047

Ebel BE, Koepsell TD, Bennett EE, Rivara FP. Too small for a seatbelt: predictors of booster seat use by child passengers. Pediatrics. 2003;111(4 Pt. 1):e323–7. DOI: https://doi.org/10.1542/peds.111.4.e323

Bingham CR, Eby DW, Hockanson HM, Greenspan AI. Factors influencing the use of booster seats: A state-wide survey of parents. Accid Anal Prev. 2006;38(5):1028–37. DOI: https://doi.org/10.1016/j.aap.2006.04.014

Simpson EM, Moll EK, Kassam-Adams N, Miller GJ, Winston FK. Barriers to boost-er seat use and strategies to increase their use. Pediatrics. 2002;110(4):729–36. DOI: https://doi.org/10.1542/peds.110.4.729

Child passenger safety survey commissioned by DaimlerChrysler with the support of NHTSA. Alexandria, VA: Public Opinion Strategies; 2000.

Arbogast KB, Jermakian JS, Kallan MJ, Durbin DR. Effectiveness of belt position-ing booster seats: an updated assessment. Pediatrics. 2009;124(5):1281–6. DOI: https://doi.org/10.1542/peds.2009-0908

Kulowski J, Rost WB. Intra-abdominal injury from safety belt in auto accident: report of a case. AMA Arch Surg. 1956;73(6):970-1. DOI: https://doi.org/10.1001/archsurg.1956.01280060070015

Garret JW, Braunstein PW. The seat belt syndrome. J Trauma. 1962;2:220–38. DOI: https://doi.org/10.1097/00005373-196205000-00002

Agran PF, Dunkle DE, Winn DG. Injuries to a sample of seatbelted children evaluat-ed and treated in a hospital emergency room. J Trauma. 1987;27(1):58-64. DOI: https://doi.org/10.1097/00005373-198701000-00011

Durbin DR, Bhatia E, Holmes JH, Shaw KN, Werner JV, Sorenson W, Winston FK. Partners for child passenger safety: a unique child-specific crash surveillance system. Accid Anal Prev. 2001;33(3):407-12. DOI: https://doi.org/10.1016/s0001-4575(00)00054-3

Miller TR, Zaloshnja E, Hendrie D. Cost-outcome analysis of booster seats for auto occupants aged 4 to 7 years. Pediatrics. 2006;118(5):1994-8. DOI: https://doi.org/10.1542/peds.2006-1328

Downloads

Publicado

2021-07-14

Como Citar

Lucena, A. S. P. da N., Felinto, A. N. L., Bessa, A. P. ., Silva Filho, A. H. S. da ., Gomes, C. M. L. P. F., Rocha, Y. D. da ., & Colares, P. G. B. (2021). Uso do assento de segurança infantil no banco traseiro de automóveis: análise em escolas de Fortaleza. Saúde Ética & Justiça , 26(1), 21-26. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v26i1p21-26

Edição

Seção

Artigo