Mapeamento das delegacias especializadas da mulher da Paraíba: percepção dos funcionários em relação à lei Maria da Penha

Autores

  • Julyana de Araújo Oliveira Universidade Federal da Paraíba.
  • Patrícia Moreira Rabello Universidade Federal da Paraíba UFPB.
  • Alice Villar Aquino de Carvalho Centro Odontológico de Estudos e Pesquisas (COESP).
  • Maria do Socorro Dantas de Araújo GEMOL – Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v16i2p86-92

Palavras-chave:

Violência doméstica/legislação & jurisprudência, Violência contra a mulher, Legislação como assunto/organização & administração.

Resumo

Estudar o Mapeamento dos funcionários das Delegacias Especializadas da Mulher (DEM) e a percepção em relação à Lei Maia da Penha.

Metodologia: Pesquisa quanti-qualitativa, realizada nos municípios paraibanos que possuem DEMs. A amostra foi composta por 30 funcionários, sendo os instrumentos utilizados formulário e entrevistas a respeito da Lei Maria da Penha registradas por mp3, as quais foram transcritas e analisadas utilizando a Técnica Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Resultado: A Lei Maria da Penha é importante para inibir a violência contra a mulher. A mesma aumentou o trabalho nas Delegacias porque transformou a forma processual em inquérito policial, no entanto as vítimas desistiam de continuar o procedimento, por serem dependentes emocional e financeiramente do companheiro. Conclusão: Os pesquisados acreditam que a Lei deva ser aplicada de maneira mais efetiva pelo Estado, procurando prestar atendimento completo às vítimas de violência, desde abrigo até recuperação da família envolvida no processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julyana de Araújo Oliveira, Universidade Federal da Paraíba.

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal da Paraíba.

Patrícia Moreira Rabello, Universidade Federal da Paraíba UFPB.

Professora Doutora Adjunta do Departamento de Clínica e Odontologia Social da Universidade Federal da Paraíba UFPB.

Alice Villar Aquino de Carvalho, Centro Odontológico de Estudos e Pesquisas (COESP).

Especialista em Odontologia Legal pelo Centro Odontológico de Estudos e Pesquisas (COESP).

Maria do Socorro Dantas de Araújo, GEMOL – Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal.

Gerente Executiva do GEMOL – Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal.

Downloads

Publicado

2011-12-07

Como Citar

Oliveira, J. de A., Rabello, P. M., Carvalho, A. V. A. de, & Araújo, M. do S. D. de. (2011). Mapeamento das delegacias especializadas da mulher da Paraíba: percepção dos funcionários em relação à lei Maria da Penha. Saúde, Ética & Justiça (e-ISSN 2317-2770), 16(2), 86-92. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v16i2p86-92

Edição

Seção

Artigo