A questão da terminalidade

Autores

  • Mauro Hilkner Hospital das Clínicas - HCFMUSP / Hospital Samaritano de Campinas.
  • Regiane Rossi Hilkner Centro Universitário Salesiano de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v17i2p75-81

Palavras-chave:

Estado terminal, Unidade de terapia intensiva, Ética médica, Bioética, Cuidados paliativos.

Resumo

Os autores abordam a situação dos pacientes irreversivelmente enfermos, comumente internados em leitos de Unidades de Terapia Intensiva, e sua complexa relação com médicos, familiares e a sociedade. Discutem a terminalidade da vida, que pode ensejar conflitos de interesse, profissionais, éticos e de crenças, além de questões relativas à alocação de recursos na área da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Hilkner, Hospital das Clínicas - HCFMUSP / Hospital Samaritano de Campinas.

Médico Intensivista, Doutor em Emergências Clínicas pela FMUSP, Médico Assistente da UTI da Neurologia do HCFMUSP e Coordenador da UTI do Hospital Samaritano de Campinas.

Regiane Rossi Hilkner, Centro Universitário Salesiano de São Paulo.

Pedagoga, Mestre em Psicologia pela UNICAMP e Doutora em Antropologia pela UNICAMP. Coordenadora da graduação em Educação e da pós-graduação em Psicologia e Psicopedagogia do UNISAL – Americana, São Paulo.

Downloads

Publicado

2012-12-24

Como Citar

Hilkner, M., & Hilkner, R. R. (2012). A questão da terminalidade. Saúde, Ética & Justiça (e-ISSN 2317-2770), 17(2), 75-81. https://doi.org/10.11606/issn.2317-2770.v17i2p75-81

Edição

Seção

Artigo