Notícias

Chamada para Artigos: Prazo estendido até 28 de fevereiro de 2023

2022-10-07

Dossiê Especial Volume 50 Revista Significação

Há muitos anos cientistas sabiam da possibilidade da pandemia global. Surtos regionais de viroses respiratórias, causadas por vírus oriundos de morcegos desalojados de seu habitat natural por processos de alteração ambiental, ocorreram na Ásia e na Índia nas últimas décadas. O saber científico não foi, no entanto, capaz de extrapolar as universidades para penetrar a agenda de instituições políticas responsáveis por empreender ações preventivas.

As universidades estão diretamente implicadas nas transformações econômicas, sociais, políticas e culturais, em curso. Em certo sentido à frente das transformações tecnológicas, as universidades são também locus privilegiado do pensamento crítico, usinas do pensamento, e da criação potencial de novos conceitos de vida.

O cinema e o audiovisual são campos relativamente recentes do conhecimento, presentes nas universidades somente a partir da segunda metade do século XX. O que são 50 anos em instituições quase milenares? Além de recente, os contornos do campo se desfazem e refazem na atual revolução digital.

Uma das primeiras revistas na área, inicialmente dedicada a pesquisas semióticas, e desde 2007 com escopo reduzido à cultura audiovisual mas ampliado para incorporar expressões e abordagens plurais, a Revista Significação comemora seu volume 50 com um dossiê que pretende debater o potencial da pesquisa na área para atender aos desafios postos nesse novo milênio, saturado pela produção e circulação de imagens e sons.

Novas formas de produção e circulação alteram rotinas, formatos, convenções de linguagem e crítica. A profusão de objetos audiovisuais que as plataformas de streaming e as mídias sociais disponibilizam desafia os métodos usuais de pesquisa, crítica ou interpretação. Algoritmos regem a produção e o acesso a conteúdos digitais. O que pode a pesquisa em cinema e audiovisual nesses tempos de transição econômica, política, tecnológica e cultural?

Após uma era pautada pelas avaliações quantitativistas da produção intelectual, abrem-se novos horizontes. Qual o papel da pesquisa nas áreas de intersecção entre comunicações e artes, especialmente voltadas para formas de expressão em imagens e sons?

A pesquisa individual, baseada na interpretação de obras e na sondagem historiográfica em acervos cada vez mais digitalizados mantém sua preponderância na área. Mas projetos colaborativos de pesquisa, com financiamentos de agências e com abrangência transdisciplinar, ganham espaço.

Como as revistas acadêmicas podem contribuir para estimular pesquisas teóricas, empíricas, interpretações autorais, críticas e curadorias que problematizem a possibilidade da experiência contemporânea em torno de meios e formas audiovisuais?

A ideia aqui é contar com colaborações de estudos empíricos, envolvidos com as mais diversas áreas e abordagens de um campo que se diversifica para dar conta dos desafios postos e/ou repostos. Pretendemos abrir espaço para uma cartografia dos estudos contemporâneos na área, contornos nacionais e transnacionais, feministas, interseccionais, baseados na teoria crítica, nos estudos culturais, em recortes pós-estruturalistas, historiográficos, no estudo das linguagens, em combinações heterodoxas, que contribuam para turbinar as publicações em uma área estratégica, mas ainda tímida, da produção acadêmica.

Prazo estendido: a data limite para envio das contribuições é 28 de fevereiro de 2023. 

Saiba mais sobre Chamada para Artigos: Prazo estendido até 28 de fevereiro de 2023

Edição Atual

v. 49 n. 58 (2022)
Ver Todas as Edições