A música de Villa-Lobos nos filmes de Glauber Rocha dos anos 60: alegoria da pátria e retalho de colcha tropicalista

  • Luíza Beatriz Alvim Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Palavras-chave: Glauber Rocha, Villa-Lobos, nacionalismo, antropofagia, análise fílmica.

Resumo

Analisamos o uso da música preexistente de Villa-Lobos em dois filmes de Glauber Rocha dos anos 60, Deus e o diabo na terra do sol (1964) e Terra em transe (1967). Considerada por Guerrini Júnior (2009) como uma “alegoria da pátria” em grande parte dos filmes do Cinema Novo, a música de Villa-Lobos é bastante presente em Deus e o diabo na terra do sol. Porém, a peça musical do final do filme aponta para uma mudança de direção para uma atitude mais antropofágica e tropicalista em Terra em transe, onde a música de Villa-Lobos é parte de uma colcha de retalhos de estilos e gêneros. Consideramos aqui os significados que os trechos preexistentes de Villa-Lobos trazem para os dois filmes, além das relações com os elementos nacionais e populares e com os outros componentes da trilha sonora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luíza Beatriz Alvim, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, professora subsituta do departamento de Métodos e Áreas Conexas da Escola de Comunicação da UFRJ

Referências

ANDRADE, M. de. Ensaio sobre a música brasileira. São Paulo: Vila Rica, 1972.

ANDRADE, O. de. “O Manifesto Antropófago”. In: Obras completas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

ARCANJO, L. O ritmo da mistura e o compasso da História: o modernismo musical nas Bachianas Brasileiras de Heitor Villa-Lobos. Rio de Janeiro: E-papers, 2008.

AVELLAR, J. C. A ponte clandestina (Birri, Glauber, Solanas, Garcia Espinosa, Sanjinés, Aléa): Teorias de Cinema na América Latina. São Paulo: Editora 34, 1995.

BRUCE, G. “Alma brasileira: music in the films of Glauber Rocha”. In: JOHNSON, Randal; STAM, R. (org.). Brazilian Cinema. Londres, Associated University Press, 1982.

GAREL, A.; PORCILE, F. La musique à l´écran. CinémAction, n.62, jan. 1992.

GUÉRIOS, P. R. Heitor Villa-Lobos: o caminho sinuoso da predestinação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

GUERRINI Jr, I. A música no cinema brasileiro: os inovadores anos sessenta. São Paulo: Terceira Margem, 2009.

ROCHA, G. Revolução do Cinema Novo. Rio de Janeiro: Alhambra/Embrafilme, 1981.

RUEB, F. 48 variações sobre Bach. São Paulo: Compainha das Letras, 2001.

SARACENI, P. C. Por dentro do Cinema Novo: minha viagem. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

TACUCHIAN, R. “Villa-Lobos e Stravinsky”. Revista do Brasil: edição especial Villa-Lobos, Rio de Janeiro, ano 4, n.1, 1988

XAVIER, I. Cinema brasileiro moderno. 3.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

______ . Sertão Mar: Glauber Rocha e a estética da fome. 2ª ed. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

WISNIK, J. M. “Getúlio da paixão cearense”. In: WISNIK, J. M.; SQUEFF, E. O nacional e o popular na cultura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983.

Publicado
2015-12-18
Como Citar
Alvim, L. (2015). A música de Villa-Lobos nos filmes de Glauber Rocha dos anos 60: alegoria da pátria e retalho de colcha tropicalista. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 42(44), 100-119. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2015.103205