A historicidade do cinema

Autores

  • Jacques Rancière Universidade de Paris VIII

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2017.133369

Palavras-chave:

história, cinema, Jacques Rancière, regime estético.

Resumo

Este artigo de Jacques Rancière, publicado originalmente em 1998 no livro De l’histoire au cinéma, organizado por Antoine de Baecque e Christian Delage, trata da historicidade do cinema, na medida em que esta historicidade está intimamente relacionada ao “regime estético da arte”, que é um regime de compreensão da arte, em sua distinção entre o sensível e o pensável. O cinema, analisado no interior do “regime estético”, relaciona-se com sua historicidade na medida em que está entrelaçado em três acepções da palavra “história”: o tipo de trama em que um filme consiste, a função de memorialização que ele cumpre e a maneira como atesta uma participação em um destino comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jacques Rancière, Universidade de Paris VIII

Filósofo e professor emérito da Universidade de Paris VIII. Atualmente tem dedicado seu trabalho à compreensão das
relações entre estética e política. Autor de A partilha do sensível, O espectador emancipado e O destino das imagens.

Referências

BAILLY, A. Dictionnaire grec-français. Paris: Hachette, 1935. Disponível em: <https://goo.gl/B3dKKw>. Acesso em: 17 out. 2017.

EPSTEIN, J. Écrits sur le cinéma:. 1920-1953. Paris: Seghers, 1975. 2 v.

FAURE, É. Fonction du cinema: de la cineplastique a son destin social. Paris: Gonthier, 1953.

MICHELSON, A. Kino-Eye: the writings of Dziga Vertov. Berkeley: University of California Press, 1984.

RANCIÈRE, J. La nuit des prolétaires: archives du rêve ouvrier. Paris: Fayard, 1981.

______. Os nomes da história: um ensaio poético do saber. Tradução Eduardo Guimarães e Eni Orlandi. São Paulo: EDUC; Pontes, 1994.

SCHNAPPER, L. “Histoire de la musique: chanter la romance”. Napoleonica: La Revue, Paris, v. 7, n. 1, p. 3-20, 2010. Disponível em: <https://goo.gl/6ZrgcA>. Acesso em: 17 out. 2017.

VERTOV, D. Articles, journaux, projets. Tradução Sylviane Mossé e Andrée Robel. Paris: Union Générale d'Editions, 1972.

Referências audiovisuais

COEUR Fidèle. Jean Epstein, França, 1923.

HISTOIRE(S) du Cinéma. Jean-Luc Godard, França, 1998.

LA Roue. Abel Gance, França, 1923.

LEVEL Five. Chris Marker, França, 1997.

LISTEN to Britain. Humphrey Jennings, Reino Unido, 1941.

LONDON Can Take It. Humphrey Jennings, Reino Unido, 1940.

WHILE the City Sleeps (No silêncio de uma cidade). Fritz Lang, Estados Unidos, 1956.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

Rancière, J. (2017). A historicidade do cinema. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 44(48), 245-263. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2017.133369