Contribuições da semiótica ao estudo da ficção televisiva: o caso da minissérie Justiça

Autores

  • Silvia Maria de Sousa Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2017.136718

Palavras-chave:

minissérie Justiça, estratégia enunciativa, aspectualização, semiótica greimasiana.

Resumo

Nos últimos anos, a TV brasileira vem seguindo uma tendência mundial ao aumentar a produção de seriados. Boa parte deles conta com alto investimento técnico e apresenta tentativas de inovação da teledramaturgia. Para observar esse fenômeno, o artigo analisa, com base nas ferramentas da semiótica greimasiana, a minissérie Justiça, exibida em 2016 pela Rede Globo. Busca-se problematizar a relação entre a estrutura narrativa da série e a estratégia enunciativa usada na transmissão, a saber, a distribuição dos diferentes pontos de vista pelos dias da semana. Investiga-se de que modo tal estratégia confere densidade aspectual ao enunciado e que efeitos de sentido daí derivam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Maria de Sousa, Universidade Federal Fluminense

É professora da Universidade Federal Fluminense. É vice-líder do grupo de pesquisa em Semiótica e Discurso (SEDI) e integra a diretoria da Associação Brasileira de Estudos Semióticos (ABES). Lançou o livro Silvio Santos Vem Aí: programas de auditório do SBT numa perspectiva semiótica, lançado pela EdUFF, em 2011, além de vários artigos e capítulos de livros em coletâneas. É coautora do projeto Apoema (coleção de livros didáticos de Língua Portuguesa para o Ensino Fundamental – Editora do Brasil -2013). Pesquisa com apoio FAPERJ.

Referências

BERTRAND, D. Caminhos da semiótica literária. Bauru: EdUSC, 2003.

FECHINE, Y. et al. “Como pensar os conteúdos transmídias na teledramaturgia brasileira? Uma proposta de abordagem a partir das telenovelas da Globo”. In: LOPES, M. I. V. (Org.). Estratégias de transmidiação na ficção televisiva brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2013. p. 19-60.

FIORIN, J. L. A lógica da neutralidade: um caso de aspectualização do ator. In: SEMINÁRIO DO GEL, 18., 1989, Lorena. Anais… Lorena: GEL, 1989.

______. “Paixões, afetos, emoções e sentimentos”. Cadernos de Semiótica Aplicada, Araraquara, v. 5, n. 2, p. 1-15, 2007. Disponível em: <https://goo.gl/qQ23hy>. Acesso em: 10 ago 2017.

GOMES, R. S. “Aspectualização e modalização no jornal: expectativa e acontecimento”. Estudos Semióticos, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 11-20, nov. 2012. Disponível em: <https://goo.gl/2XPW6o>. Acesso em: 25 jun. 2017.

GREIMAS, A. J.; COURTÉS, J. Dicionário de semiótica. São Paulo: Contexto, 2008.

GREIMAS; A. J.; FONTANILLE, J. Semiótica das paixões: dos estados de coisas aos estados de alma. São Paulo: Ática, 1993.

JENKINS, H. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

JOST, F. Do que as séries americanas são sintomas? Porto Alegre: Sulina, 2012.

LOPES, M. I. V; GÓMEZ, G. O. (Re)invenção de gêneros e formatos da ficção televisiva: anuário Obitel 2016. Porto Alegre: Sulina, 2016.

MURRAY, J. Hamlet no holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Itaú Cultural; Unesp, 2003.

TATIT, L. “Quantificações subjetivas: crônicas e críticas”. Cadernos de Letras da UFF, Niterói, n. 42, p. 35-50, 2011.

ZILBERBERG, C. “Síntese da gramática tensiva”. Significação, São Paulo, v. 33, n. 25, p. 163-204, 2006.

______. Elementos de gramática tensiva. São Paulo: Ateliê Editorial, 2011.

Referências audiovisuais

JUSTIÇA. Criação: Manuela Dias. Brasil, 2016.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

Sousa, S. M. de. (2017). Contribuições da semiótica ao estudo da ficção televisiva: o caso da minissérie Justiça. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 44(48), 53-67. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2017.136718