Se eu fosse você: espaços limiares de gênero e sexualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2021.160524

Palavras-chave:

Globochanchada, Neochanchada, Gênero, Sexualidade, Carnavalesco, Performatividade

Resumo

O subgênero da troca de corpos na comédia é um locus privilegiado para a investigação de normas relacionadas a gênero e sexualidade na cultura popular. O presente artigo explora essas normas através da análise fílmica de Se eu fosse você (Daniel Filho, 2006), utilizando como embasamento teórico o carnavalesco de Mikhail Bakhtin e a teoria da performatividade de Judith Butler. Apesar de apresentar uma estrutura altamente conservadora, tão importante quanto o que o filme tenta regular é o que ele expõe: padrões duplos, falhas na matriz heteronormativa, e atos sexuais e comportamentos de gênero disruptivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Gregoli, Universidade de Oxford

Doutora pela Universidade de Oxford (2014), com bolsa Clarendon (Oxford University Press), Santander e The Queens College. Mestra com louvor (2009) pelo programa Erasmus Mundus Crossways in Humanities, nas universidades de Sheffield (Inglaterra), Perpignan Via Domitia (França) e Nova de Lisboa (Portugal). É bacharela e licenciada em Letras pela Universidade Estadual de Campinas-Unicamp (2006). É professora substituta na Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília e atua como consultora internacional em direitos das mulheres.

Referências

ALPENDRE, S. “Almeida Prado e Reichenbach divergem sobre futuro do cinema”. Cineclick, [S.l.], 22 jun. 2009. Disponível em: https://bit.ly/39gJeb0. Acesso em: 31 jul. 2019.

BAKHTIN, M. Rabelais and his world. Bloomington: Indiana University Press, 1984.

BRUBAKER, M. D.; HARPER, A.; SINGH, A.. “Implementing multicultural-social justice leadership strategies when advocating for the rights of lesbian, gay, bisexual, transgender, queer, and questioning persons”. Journal for Social Action in Counseling and Psychology, Muncle, v. 3, n. 1, p. 44-58, 2011.

BUTLER, J. Gender trouble: feminism and the subversion of identity. London: Routledge, 1999.

DAWKINS, R. The selfish gene. Oxford: Oxford University Press, 1989.

GREGOLI, R. Representations of gender and sexuality in Brazilian popular cinema. 2013. Tese (Doutorado em Comunicação Social) – Universidade de Oxford, Oxford, 2013.

GREGOLI, R. “Garotas e Samba: Gender and consumerism in the Vargas era”. Revista de Comunicação Midiática, Bauru, v. 13, n. 1, p. 173-187, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3pOUz8l. Acesso em 26 jul. 2020.

GÜNSBERG, M. Italian cinema: gender and genre. New York: Palgrave Macmillan, 2005.

MURRAY, S. O. Latin American male homosexualities. Albuquerque: University of New Mexico Press, 1995.

RÊGO, C; ROCHA, C. (ed.). New trends in Argentine and Brazilian cinema. Bristol: Intellect Books, 2011.

STAM, R. Subversive Pleasures: Bakhtin, cultural criticism, and film. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1989.

THOMSON, C. “Bakhtin and feminist projects: Judith Butler’s gender trouble.” In SHEPHERD, D. (ed). Bakhtin: carnival and other subjects. Amsterdam: Rodopi, 1993. p. 210-228.

Audiovisual references

SE eu fosse você. Daniel Filho, Brasil, 2006.

SE eu fosse você 2. Daniel Filho, Brasil, 2009.

Downloads

Publicado

2021-01-30

Como Citar

Gregoli, R. (2021). Se eu fosse você: espaços limiares de gênero e sexualidade. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 48(55), 36-54. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2021.160524

Edição

Seção

Artigos