O gesto amador no cinema de Julio Bressane

Autores

  • Lila Foster Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.162406

Palavras-chave:

Julio Bressane, Imagem amadora, Análise fílmica

Resumo

A filmografia de Julio Bressane é atravessada pelo uso de filmes domésticos, imagens amadoras e filmes de
viagem. Neste artigo refletimos sobre a presença do gesto amador no seu cinema, partindo de três eixos de análise: 1) a subversão da iconografia familiar; 2) o amador como potência estética e política; e 3) o filme de viagem e a geografia cinematográfica do mundo. Centrada na análise fílmica, tal perspectiva também pretende abarcar os diversos sentidos que podem assumir o que denominamos aqui de gesto amador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lila Foster, Universidade de Brasília

Pós-doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília (PNPD/Capes) com projeto dedicado à história do Festival Brasileiro de Cinema Amador organizado pelo Jornal do Brasil entre 1965 e 1970. Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP, o seu trabalho concentra-se no levantamento e na análise estética da produção amadora e de filmes domésticos no Brasil.

Referências

ALLARD, L. “Une rencontre entre film de famille et film expérimental: le cinéma personnel”. In: ODIN, R. (ed.). Le film de famille: usage privé, usage public. Paris: Méridiens Klincksieck, 1995, p. 113-125.

ALMEIDA, G. M. R. “Por uma arqueologia crítica das imagens em Aby Warburg, André Malraux e Jean-Luc Godard”. Significação, São Paulo, v. 43, n. 46, p. 29-46, 2016.

AQUINO, L. Picture ahead: a Kodak e a construção do turista-fotógrafo. São Paulo: Editora do Autor, 2016.

ARANTES, S. “‘Dias de Nietzsche em Turim’ será exibido hoje em Veneza”. Folha de S.Paulo, Ilustrada, 5 set. 2001. Disponível em: https://bit.ly/30rFQpk. Acesso em: 12 fev. 2019.

BRAKHAGE, S. “In defense of amateur”. In: MCPHERSON, B. (org.). Essential Brakhage: selected writings on filmmaking by Stan Brakhage. New York: McPherson & Company, 2001, p. 141-150.

BRESSANE, J. “Julio Bressane: trajetória”. In: VALENTE, E. (coord.). Cinema inocente: retrospectiva Julio Bressane. São Paulo: SESC, 2003, p. 10-17.

BRESSANE, J. Deslimite. Rio de Janeiro: Imago, 2011.

DUARTE, T. “Lágrima-Pantera, a míssil: cinema Subterrânia”. Ars, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 181-205, 2017.

GUNNING, T. “The whole world within reach: travel images without borders”. In: RUOFF, J. (ed.). Virtual voyages: cinema and travel. Durham: Duke University Press, 2006, p. 25-41.

HADDAD, N. “Julio Bressane afirma que seus filmes ‘representam movimento aberrante’”. Folha de S.Paulo, Ilustríssima, 22 out. 2017. Disponível em: https://bit.ly/37dE1xC. Acesso em: 10 fev. 2019.

MACHADO JÚNIOR, R. “O inchaço do presente: experimentalismo super-8 nos anos 1970”. Filme Cultura, Rio de Janeiro, n. 54, p. 28-32, 2011.

ODIN, R. “Le Film de Famille dans l’Instituition Familiale”. In: ODIN, R. (ed). Le film de famille: usage privé, usage public. Paris: Méridiens Klincksieck, 1995. p. 27-41.

XAVIER, I. “Roteiro de Julio Bressane: apresentação de uma poética”. Alceu, Rio de Janeiro, v. 6, n. 12, p. 5-26, 2006.

Referências audiovisuais

A FAMÍLIA do barulho. Julio Bressane, Brasil, 1970. Disponível em: https://bit.ly/3dbwilr. Acesso em: 15 jun. 2020.

BELAIR. Bruno Safadi e Noa Bressane, Brasil, 2011. Disponível em: https://bit.ly/2MXnaGc. Acesso em: 15 jun. 2020.

CRAZY love. Julio Bressane, Inglaterra, 1971. Disponível em: https://bit.ly/2AtWSJd. Acesso em: 15 jun. 2020.

DIAS de Nietzsche em Turim. Julio Bressane, Itália-Brasil, 2001. Disponível em: https://bit.ly/2YDBdWJ. Acesso em: 15 jun. 2020.

LÁGRIMA-Pantera, a míssil. Julio Bressane, EUA, 1972. Disponível em: https://bit.ly/2B86zwI. Acesso em: 15 jun. 2020.

SEDUÇÃO da carne. Julio Bressane, Brasil, 2018.

Downloads

Publicado

2020-07-09

Como Citar

Foster, L. (2020). O gesto amador no cinema de Julio Bressane. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 47(54), 311-333. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2020.162406