O feminismo de Sarita: limiar, dialética e interseccionalidade em De Cierta Manera

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2021.168457

Palavras-chave:

Dialética, Feminismo, Cinema cubano, Sara Gómez

Resumo

Retomamos o primeiro longa-metragem dirigido por uma mulher negra em Cuba, De cierta manera (1974-1977), de Sara Gómez, apostando na dialética e na potência da separação (ficção, documentário) como condições de expressão de um cinema político engajado na transformação sócio-histórica e na produção de consciência crítica. Concebemos a dialética e a figura da limiaridade a partir de três pares fundamentais que se desmembram e se atravessam: ficção-documentário, que estrutura o mecanismo do filme; revolução-marginalização, fundante do argumento e assumido como temática central; e o par machismo-feminismo, que analisamos mais detidamente a partir da narrativa, do mise-en-scène e da montagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Mesquita, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992), mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2002) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2006). Foi documentarista do Centro de Estudos da Metrópole, professora da Universidade Federal de Santa Catarina e atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência nas áreas de Comunicação e Cinema, com ênfase em Comunicação e Estética do Audiovisual, atuando principalmente nos seguintes temas: narrativas audiovisuais, cinema documentário e cinema brasileiro.

Roberta Veiga, Universidade Federal de Minas Gerais

É Professora Adjunta do Departamento de Comunicação Social da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal de Minas Gerais (FAFICH-UFMG). É editora da revista Devires – Cinema e Humanidades (publicação da UFMG) e consultora acadêmica do Forumdoc (Festival do Filme Documentário e Etnográfico). Atualmente desenvolve a pesquisa “A escrita de si nas imagens: cinema, história e espetáculo” junto ao grupo Poéticas da Experiência.

Referências

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

BRASIL, André; MESQUITA, Cláudia. “O meio bebeu o fim, como o mata borrão bebe a tinta – notas sobre O céu sobre os ombros e Avenida Brasília Formosa”. In: BRANDÃO, A. et al. Políticas dos cinemas latino-americanos contemporâneos. Florianópolis: Unisul, 2012.

BURTON, Julianne. “Revolutionary Cuban Cinema”. Jump Cut, California, n. 19, p. 17-20, 1978.

CRENSHAW, Kimberlé W. “Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero”. In: Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v.10, n. 1, p. 171-188, 2002.

DAVIES, Catherine. “National Feminism in Cuba: The Elaboration of a Counter-Discourse, 1900-1935”. The Modern Language Review, Cambridge, v. 91, n. 1, p. 107-123, 1996.

DAVIES, Catherine. “Modernity, masculinity and Imperfect Cinema in Cuba”. Screen, Scotland, v. 38, n. 4, p. 345-359, 1997.

GÓMEZ, Sara. “Los documentalistas y sus concepciones”. Pensamiento Crítico, Havana, n. 42, p. 89-98, 1970.

GUEVARA, Alfredo. “Um cine de combate”. Pensamiento Crítico, Havana, n. 42, p. 7-33, 1970.

HANISCH, Carol. “The personal is political”. Notes (from the Second Year): Women’s Liberation, New York, v. 43, n. 6, p. 76-77, 1970.

JOHNSTON, Claire. “Women’s cinema as counter‐cinema”. In: JOHNSTON, Claire (org.). Feminism and Film. New York: Oxford University Press, 2000 [1973]. p. 31–40.

LEÓN, Camila V. “De cierta manera: Lecturas de Frantz Fanon en Sara Gómez”. Revista Visaje, Cuba, 21 jun. 2014. Ensayos.

LESAGE, Julia. “One way or another: dialectical, revolutionary, feminist”. Jump Cut, California, n. 20, online, 1979.

OCASIO, Rafael; COLLEGE, Agnes S. “Ethnicity and Cuban revolutionary ideology in Sara Gómez’s De cierta manera”. Polifonia Scholarly Journal, Clarksville, v. 6, n. 1, p. 127-140, 2017.

PENSAMIENTO CRÍTICO. Havana: Dossiê El Cine Cubano, n. 42, jul. 1970.

RANCIÈRE, Jacques. As distâncias do cinema. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

RICH, B. Ruby. “One way or another: Sara Gomez and the Cuban Experience”. In: RICH, B. Ruby. Chick Flicks: theories and memories of the feminist film movement. London: Duke Express, 1998. p. 92-102.

TEDESCO, Marina C. “A contribuição de Sara Gómez para a linguagem do documentário cubano pós-Revolução de 1959: uma análise de Historia de lapiratería”. Revista Digital de Cinema Documentário, Covilhã, n. 28, p. 104-117, 2019.

VEIGA, Ana M. “Radicalizar o ‘Cine Imperfecto’ cubano – Sara Gómez”. História Revista, Goiânia, v. 23, n. 1, p. 28-48, 2018.

Downloads

Publicado

2021-01-30

Como Citar

Mesquita, C., & Veiga, R. (2021). O feminismo de Sarita: limiar, dialética e interseccionalidade em De Cierta Manera. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 48(55), 17-35. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2021.168457

Edição

Seção

Artigos