Arlindo Machado: um percurso extraordinário

Autores

  • Ismail Xavier Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2022.192574

Palavras-chave:

Cinema, Arte, Vídeo, Imagem, Som, Mídia

Resumo

O artigo percorre os variados interesses e competências de Arlindo Machado, demonstrando sua notável amplitude de conhecimentos e rara sensibilidade, analisando questões que envolvem a reflexão teórico-conceitual nas disciplinas conexas da comunicação midiática e das artes. Essa reflexão é balizada pela análise de obras pertencentes a campos que se inserem em variadas tradições e que compõem um rico conjunto de criações: filmes, fotografias, vídeos, instalações de artistas visuais apoiadas em distintos suportes, não faltando momentos de consideração de obras literárias – poesia e romance – e momentos de incursão no terreno da música, erudita e popular. Arlindo Machado foi um criador de caminhos, o que foi possível graças a esse percurso de inovações observadas na imensa obra que nos deixou como legado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ismail Xavier, Universidade de São Paulo

Doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP) e em Cinema Studies pela New York University. Professor Emérito da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Cinema, atuando principalmente nos seguintes temas: cinema, cinema brasileiro, cinema moderno e contemporâneo, teoria e história do cinema, cinema e teatro, cinema e pintura, cinema e fotografia.

Referências

MACHADO, A. A ideologia do cinema militante. Cine-Olho, São Paulo, n. 8-9, p. 2-5, 1979.

MACHADO, A. A ilusão especular: introdução à fotografia. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MACHADO, A. A ilusão especular: uma teoria da fotografia. 2. ed. São Paulo; Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2015.

MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2000.

MACHADO, A. “Cinema e arte contemporânea”. Revista Z Cultural, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 3, 2012

MACHADO, A. Eisenstein: geometria do êxtase. São Paulo: Brasiliense, 1983.

MACHADO, A. “Introdução”. In: MACHADO, A. (org.). Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Iluminuras; Itaú Cultural, 2003. p. 15-50.

MACHADO, A.; MAGRI, C.; MASAGÃO, M. Rádios livres: a reforma agrária no ar. São Paulo: Brasiliense, 1986.

MACHADO, A. Máquina e imaginário: o desafio das poéticas tecnológicas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1993.

MACHADO, A. O olho, a visão e a imagem: revisão crítica. São Paulo: Ribeiro Edições, 2019.

MACHADO, A. “O sujeito no ciberespaço”. In: PRADO, J. L. A. (org.). Crítica das práticas midiáticas: da sociedade de massa às ciberculturas. São Paulo: Hacker, 2002. p. 83-97.

MACHADO, A. Os anos de chumbo: mídia, poética e ideologia no período de resistência ao autoritarismo militar (1968-1985). Porto Alegre: Sulina, 2006.

MACHADO, A. Pré-cinemas & pós-cinemas. 6. ed. Campinas: Papirus, 1997.

MACHADO, A. “Reflexionen zu Flusser und den technischen bildern”. In: FAHLE, O.; HANKE, M.; ZIEMANN, A. (org.). Technobilder und kommunikologie: die medientheorie vilém flussers. Berlin: Parerga, 2011.,p. 177-195.

MACHADO, A.; VÉLEZ, M. L. Análise do programa televisivo. São Paulo: Alameda, 2018.

Downloads

Publicado

2022-02-04

Como Citar

Xavier, I. (2022). Arlindo Machado: um percurso extraordinário. Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 49(57), 121-151. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2022.192574