Hiper-realidade e hibridação no cinema contemporâneo

Autores

  • Denize Correa Araujo Universidade Tuiuti do Paraná/UTP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2005.90554

Palavras-chave:

Hiper-realidade, Hibridação, Rizoma, Dialogismo, Intertextualidade

Resumo

A proposta deste estudo é analisar três momentos nos quais duas estéticas se hibridizam: no curta Como se morre no cinema (Luelane Correa, 2001), uma releitura da estética da fome em versão pósmodemista; no longa Ladrões de sabonete (Maurizio Nichetti, 1989), um contraponto entre a estética neo-realista e a publicitária; e em Dogville (Lars von Trier, 2004), considerado “cinema de fusão” na estética do Dogma. O referencial teórico incluirá os conceitos de hiper-realidade de Baudrillard, de rizoma de Deleuze-Guattari, de intertextualidade de Kristeva, de obra aberta de Eco e de dialogismo de Bakhtin.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

12/30/2005

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Hiper-realidade e hibridação no cinema contemporâneo. (2005). Significação: Revista De Cultura Audiovisual, 32(24), 151-163. https://doi.org/10.11606/issn.2316-7114.sig.2005.90554