O impacto dos algoritmos no consumo de música

uma revisão sistemática de literatura

  • Rose Marie Santini Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0657-7217
  • Debora Salles Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
Palavras-chave: Algoritmos de recomendação, Streaming, Intermediários Culturais, Revisão Sistemática de Literatura, Indústria da música

Resumo

Os Sistemas de Recomendação (RS) são definidos como algoritmos que classificam e recomendam produtos culturais a partir de dados sobre as práticas e o comportamento dos usuários.  O objetivo deste artigo é diagnosticar as consequências sociais e culturais dos algoritmos de recomendação de música como intermediários culturais on-line, examinando como e até que ponto eles afetam a percepção cultural, a classificação da música, a formação do gosto, o comportamento do ouvinte e a escolhas dos usuários. Realizamos uma revisão sistemática da literatura para identificar e discutir a produção científica sobre as implicações sociais e culturais de tais algoritmos nas práticas de consumo de música. Foram obtidos 311 artigos a partir de pesquisas bibliográficas em nove diferentes bases de dados científicos. Nossa análise crítica indicou quatro abordagens temáticas principais exploradas pela comunidade científica sobre esse tema entre 2000 e 2016: 1) O papel dos sistemas de recomendação na indústria fonográfica; 2) Impacto dos serviços de streaming no download de música; 3) Viés na classificação e recomendação de conteúdo; e 4) Consumo de música como recurso social. Os resultados revelam a lógica da intermediação cultural via sistemas de recomendação no mercado da música: esses algoritmos influenciam, modelam e mapeiam os gostos e hábitos dos usuários em um ambiente aparentemente livre, diversificado e ao mesmo tempo personalizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rose Marie Santini, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Professora associada da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Coordenadora do NetLab-UFRJ. 

Debora Salles, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Doutoranda do programa de pós-graduação em Ciência da Informação no IBICT/ECO-UFRJ

Publicado
2020-03-02