A denúncia sobre violência doméstica contra a mulher em circulação pela publicidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-5057.v14i2e204889

Palavras-chave:

Publicidade social, Violência doméstica, Denúncia

Resumo

O artigo tem como tema a violência doméstica contra a mulher, com foco na denúncia, e objetiva identificar o potencial do tratamento dado à denúncia na composição de campanhas sociais sobre a violência contra a mulher. Para tanto, são apresentadas reflexões sobre a política da piedade e sobre a denúncia, conforme Boltanski, e sobre o papel da mulher na constituição da família no contexto social brasileiro. Em seguida, é tecida uma análise de uma peça publicitária, na perspectiva da semiótica peirceana. Os resultados são relevantes tanto para a produção em publicidade social, por agregar um novo olhar para a denúncia, quanto para o redimensionamento de políticas públicas relativas à violência doméstica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex Sandro Benetti Dias, Universidade de Sorocaba

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba, Sorocaba, SP

Maria Ogécia Drigo, Universidade de Sorocaba

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com pós-doutorado pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Sorocaba.

Referências

BOLTANSKI, Luc. La Souffrance à distance: Morale humanitaire, médias et politique. Paris: Métailié, 1993.

BOLTANSKI, Luc; THÉVENOT, Laurent. De la justification: les économies de la grandeur. Paris: Gallimard, 1991.

BRASIL. Senado Federal. Pesquisa DataSenado: violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília, DF: Senado Federal, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3YyfIVL. Acesso em: 8 jan. 2022.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. 22. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

DENUNCIE a violência doméstica. Para algumas famílias, o isolamento está sendo ainda mais difícil. [S. l.: s. n.], 2020. 1 vídeo (30 seg). Publicado pelo canal Mulher, Família e Direitos Humanos. Disponível em: https://bit.ly/3YGd3JF. Acesso em: 10 jan. 2022.

DRIGO, Maria Ogécia; SOUZA, Luciana C. P. de. Aulas de semiótica peirceana. 2. ed. Curitiba: Appris, 2021.

DUARTE, Luiz Fernando D. Distanciamento, reflexividade e interiorização da pessoa no Ocidente. Mana: Estudos de Antropologia Social, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 163-176, 1996. Disponível em: https://bit.ly/3G4vhwT. Acesso em: 15 fev. 2022.

FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala. São Paulo: Global, 2006.

LIPOVETSKY, Gilles. A terceira mulher: permanência e revolução do feminino. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SAMARA, Eni de Mesquita. O que mudou na família brasileira? (Da colônia à atualidade). Psicologia USP, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 27-48, 2002. Disponível em: https://bit.ly/3G7tZBq. Acesso em: 5 jan. 2022.

SAMARA, Eni de Mesquita; MATOS, María Izilda Santos de. Manos femeninas: trabajo y resistencia de las mujeres brasileñas – 1890-1920. In: DUBY, Georges; PERROT, Michelle (org.). Historia de las mujeres: el siglo XX. Madrid: Taurus, 1993. v. 5, p. 709-720.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

DIAS, A. S. B.; DRIGO, M. O. A denúncia sobre violência doméstica contra a mulher em circulação pela publicidade. Signos do Consumo, [S. l.], v. 14, n. 2, p. e204889, 2022. DOI: 10.11606/issn.1984-5057.v14i2e204889. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/signosdoconsumo/article/view/204889. Acesso em: 3 mar. 2024.