A técnica como horizonte, a experiência estética e a hipermídia

Autores

  • Sérgio Bairon Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-5057.v3i2p194-215

Palavras-chave:

Hipermídia, Técnica Como Horizonte, Comunicação E Experiência Estética

Resumo

O presente artigo analisa a relação entre a dimensão conceitual da técnica como horizonte e a dimensão comunicativa da experiência estética em sua expressividade hipermidiática. A análise baseia-se em princípios hermenêutico-fenomenológicos e propõe uma leitura particular da dimensão técnica da hipermídia, como uma nova forma de manifestação da compreensão. A técnica como horizonte é compreendida como a possibilidade do alcance do nível da reflexão analítica por parte da linguagem hipermidiática. O privilégio da pergunta à pergunta, à busca, ao estranhamento e à multiplicidade de respostas é uma das características desta nova forma de compreensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Bairon, Universidade de São Paulo

Livre-docente em Ciências da Comunicação pela ECA USP. Pesquisador bolsista produtividade 2 do CNPq. Pós-doutor pela Freie de Berlim, Alemanha. Doutor em Ciências pela FFLCH - USP. Historiador e Cientista Social. Líder do CEDIPP – Centro de Estudos e Produção Partilhada. Professor da ECA USP junto ao PPGCOM e ao curso de Publicidade.

Downloads

Publicado

2011-12-10