Hermés: expressões da marca e rituais de consumo

  • Flavia Igliori Gonsales ECA/USP
  • Diogo Kawano ECA/USP
  • Janiene Santos ECA/USP
Palavras-chave: marca de luxo, consumo, Cultura, semiótica

Resumo

O presente artigo apresenta a análise das expressividades da marca de luxo Hermès, a partir de método semiótico baseado na Teoria Geral dos Signos, de Charles Peirce e no modelo de transferência de significados no mundo culturalmente constituído para os bens de consumo, proposto por McCracken (2003). Verificou-se que os signos da marca são condizentes às estratégias da Hermès, cujo consumo gera efeitos de sentidos que fortalecem os vínculos com seus públicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flavia Igliori Gonsales, ECA/USP
Graduada e mestre em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP. Especialista em Gestão de Projetos Culturais pelo Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação, da ECA-USP.
Diogo Kawano, ECA/USP
Mestrando em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).
Janiene Santos, ECA/USP
Doutoranda e Mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Especialista em Gestão do Design pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.
Publicado
2012-06-16