As crizanças e as marcas: que relação possível? Um olhar a partir das mascotes

  • Ana Côrte-Real Universidade Católica Portuguesa
  • Paulo de Lencastre Universidade Católica Portuguesa
Palavras-chave: marca, mascotes, crianças

Resumo

O presente texto tem o objetivo de apresentar as reflexões acerca das relações entre as crianças e as marcas mediadas pelas mascotes. Para tanto foram integrados os conhecimentos teóricos acerca das temáticas em questão por meio de Macklin (1996), Ji (2002), Corte Real (2007), Lencastre (1997), Perez (2011), John (1999) entre outros e dos resultados a partir da realização de grupos focais com crianças realizados na cidade do Porto em Portugal, com o objetivo de investigar três semânticas específicas: abstrato vs. figurativo, redondo vs. anguloso e simétrico vs. assimétrico. A síntese dos resultados indica que as crianças mais velhas preferem e reconhecem melhor os estímulos figurativos e, as mais novas preferem e reconhecem mais favoravelmente abstratos. Na categoria semântica redondo vs. anguloso, verifica-se que as crianças do sexo feminino reagem mais favoravelmente aos estímulos redondos e as do sexo masculino aos estímulos angulosos. Ao nível da categoria simétrico vs. assimétrico as crianças do sexo feminino preferem os estímulos simétricos e, estes são mais facilmente reconhecidos pelas crianças mais velhas; as crianças do sexo masculino preferem os estímulos assimétricos e estes são mais facilmente reconhecidos pelos novos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Côrte-Real, Universidade Católica Portuguesa

Doutora em Marketing pelo ISCTE/Instituto Universitário de Lisboa e Mestre em Marketing pela Universidade Católica Portuguesa. Professora do Departamento de Marketing da Universidade Católica Portuguesa, Portugal. Coordenadora do Programa Internacional MBA Atlântico (Portugal, Brasil e Angola) e dos programas Executive Master na mesma universidade.

Paulo de Lencastre, Universidade Católica Portuguesa
Doutor em Gestão e Semiótica pela Universidade Católica de Louvain, Bélgica. Mestre em Gestão pela Universidade do Porto. Professor do Departamento de Marketing da Universidade Católica Portuguesa, Portugal. Professor visitante na ECA USP e na PUC SP. Pesquisador colaborador do GESC3 – Grupo de Estudos Semióticos em Comunicação, Cultura e Consumo.
Publicado
2012-06-16