Sobre a importância do emocional na política marcária

  • Jean Charles Jacques Zozzoli Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: marca, emoção, sedução

Resumo

Com o intuito de ser fornecedora de percepções e experimentos não só sociorrelacionais, mas atinentes a disposições afetivas fundamentais que provocam reações emocionais de afinidade, afeição, adesão, paixão, indiferença, distanciamento, ira, repulsa etc., a marca contemporânea é provedora de experiências. Gera elementos temporários de monopólio simbólico e econômico apoiando-se em percepções que substituem características racionais por experiências emocionais e sensoriais, algo vivenciado tanto física quanto imaginariamente. O artigo propõe-se debater teórica e criticamente esse tema, objeto de reflexões teóricas e livros de sucesso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Charles Jacques Zozzoli, Universidade Federal de Alagoas
Graduado em Propaganda e Marketing (Université de Franche-Comté - Besançon); Especialista em Linguística e Comunicação (UFAL); Mestre em Multimeios (UNICAMP); Doutor em Ciências da Comunicação (USP) com Pós-doutorado no CELSA Paris-Sorbonne (bolsista da CAPES - Proc. nº BEX 3280/11-0). Na França, atuou em agências de propaganda nos serviços de planejamento e criação. No Brasil, é atualmente professor do Curso de Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e Diretor Científico da Associação Brasileira dos Pesquisadores em Publicidade (ABP2); foi também Coordenador do GP Publicidade e Propaganda da Intercom nos biênios 2007-2008 e 2009-2010. Suas pesquisas e publicações focalizam principalmente a mediação e o consumo marcários contemporâneos.
Publicado
2012-06-16