O ato de cuidar em saúde mental: aspectos alinhados à cultura de segurança do paciente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2021.168515

Palavras-chave:

Pessoas Mentalmente Doentes, Segurança do Paciente, Empatia, Saúde Mental

Resumo

 Objetivo: analisar o conhecimento sobre o cuidado prestado à pessoa que possui transtorno mental na perspectiva da segurança do paciente. Método: revisão integrativa da literatura, considerando-se a seguinte questão norteadora: “Como a Política de Segurança do Paciente pode ser incorporada na produção do cuidado às pessoas ou sujeitos em sofrimento psíquico?”. Resultados: foram selecionados 12 artigos em língua inglesa nas bases de dados Scopus e MEDLINE. Predominaram os tipos de estudo revisão da literatura (42%), estudo crítico-reflexivo (17%) e análise de conteúdo (17%). Conclusão: a segurança do paciente no contexto da saúde mental é mais complexa quando comparada a de outros pacientes. Observa-se maior probabilidade de eventos adversos, violências, barreiras de acesso aos serviços e tratamentos, além de uma assistência de baixa qualidade, tardia e não planejada, tendo, como principal justificativa, o processo estigmatizador. A educação permanente e o cuidado centrado na pessoa são as principais ferramentas de solução desses casos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Lima, Universidade Federal Fluminense. Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa

Possui Licenciatura em Enfermagem pela Faculdade Souza Marques (2013) e Graduação em Enfermagem pela Universidade Estácio de Sá (2008). Especialização em Saúde do Trabalhador pela Faculdade São Camilo (2011), Gestão Estratégica em Saúde da Família pela Faculdade Signorelli (2015), Formação Integrada Multiprofissional em Educação Permanente em Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2015), Atenção à Saúde da Pessoa Idosa pela Faculdade Signorelli (2015), Gestão em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo (2016), Mestrado pela Universidade Federal Fluminense (2018). Atualmente é assessor técnico em hospital especializado em psiquiatria e professor de prática na graduação em enfermagem. Tem experiência na área da Assistência e da Educação, com ênfase em Educação em Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: Promoção da Saúde, Saúde Mental, Gestão, Educação Permanente, Humanização, Saúde Pública, Saúde Coletiva e Gerência em Enfermagem. 

Sra Elaine Cortez, Universidade Federal Fluminense. Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa

Possui Graduação em Enfermagem e Licenciatura em Enfermagem pela Universidade Federal Fluminense (2000), Especialização em Saúde da Família/ Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2004). Fez residência em Saúde Pública pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2003) e Ativação dos Processos de Mudança na Formação do Profissional de Saúde pela FIOCRUZ (2006). Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2005). É doutora pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009). Pós- Doutorado na Universidade do Porto (Portugal) na área de saúde mental.Tem experiência na área de Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: estratégia saúde da família, enfermagem, educação, saúde do trabalhador e saúde mental. Foi presidente da Associação Brasileira de Enfermagem- Regional Niterói. . Atualmente é professora Associada da Universidade Federal Fluminense, atua na graduação, pós-graduação em Enfermagem do Trabalho, residência em enfermagem em saúde coletiva (UFF) e enfermagem obstétrica (UFF) e no Mestrado Profissional Ensino na Saúde (MPES) na linha de pesquisa Educação Permanente em Saúde. Coordenadora do MPES. Integrante do CSA (Centro de Suporte Acadêmico) na UFF. Coordenadora dos projetos de extensão: Promoção da saúde mental dos estudantes universitários e Hatha Yyoga na UFF: estratégia de promoção da saúde mental. Líder do Núcleo de Pesquisa em Trabalho, Saúde e Educação. (NUPETSE). Consultora adhoc das seguintes revistas: Revista Portuguesa de enfermagem de Saúde Mental, Revista Presencia de Salud Mental - Barcelona – ES, OBJN, Revista científica de enfermagem, Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Enfermagem, Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental, Revista de Enfermagem UFPE On line e Revista Pró-Universus. Membro efetivo do CINTESIS-Centro de Investigação em Enfermagem em Saúde Mental que engloba pesquisadores do Brasil, Portugal e Espanha. Membro do Grupo Internacional de Investigação em Saúde Mental (GIISAME). 

Referências

Amarante PDC. Psiquiatria social e reforma psiquiátrica. 20. ed. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 2014

Yasui S. Knowing the origins of the Brazilian psychiatric reform: the French and Italian experiences. Hist Cienc Saúde-Manguinhos. [Internet]. 2011 June [cited 2018 Nov 5];18(2):585-9. Available from: http://www. scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104- 59702011000200016&lng=en. doi: https://doi. org/10.1590/S0104-59702011000200016

Lei no 10.216, de 6 de abril de 2001 (BR). Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. [Internet]. Brasília, DF; 2001. [Acesso 15 set 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov. br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10216.htm#:~:text=LEI

Ministério da Saúde (BR). Saúde mental: o que é, doenças, tratamentos e direitos. [Internet]. Ministério da Saúde; 2019. [Acesso 4 jun 2020]. Disponível em: http:// saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-mental

Ministério da Saúde (BR).Secretaria de Atenção à Saúde. DAFE. Coordenação de Saúde Mental. Reforma Psiquiátrica e política de Saúde Mental no Brasil. [Internet]. Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental : 15 anos depois de Caracas. Brasília; nov 2005. [Acesso 4 jun 2020]. Disponível em: http:// bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_ Caracas.pdf

World Health Organization. The World Health Report 2001. Mental Health: New Understanding, New Hope. World Health Organization; 2001

Ministério da Saúde (BR). Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do paciente/ Ministério da Saúde; Fundação Oswaldo Cruz; Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. [Acesso 3 ago 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/documento_ referencia_programa_nacional_seguranca.pdf

Ministério da Saúde (BR). Gabinete do Ministro. Portaria MS/GM nº 529, de 1 de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). [Internet] 2013 [Acesso 3 ago 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/ prt0529_01_04_2013.html

Vincent C, Amalberti R. Cuidado de Saúde mais Seguro: estratégias para o cotidiano do cuidado. Rio de Janeiro; 2016. 198 p

Elias CSR, Silva LA, Martins MTSL, Ramos NAP, Souza MGG, Hipólito RL. When is the end? A narrative review on the termination of the school term for mentally disabled students. SMAD, Rev Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. jan.-abr. 2012 [cited Sep 29, 2020]; 8(1):48-53. Available from: http://www.revistas.usp.br/smad/article/ view/49594/53669

Cavalcanti ACD, Pereira JMV. Nursing diagnoses of patients with heart failure: an integrative review. Online Braz J Nurs. [Internet] 2014 [cited Jun 15, 2019];13(1):113-25. Available from: http://www. objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/3916

Johnston D. What makes a difference to patients? Int Rev Psychiatry. 2013;25(3):319-28. doi: http://doi.org/ 10.3109/09540261.2013.782854

Kowalski SL, Anthony M. Nursing’s evolving role in patient safety. Am J Nurs. 2017;117(2):34-48. doi: http:// doi.org/10.1097/01.NAJ.0000512274.79629.3c

Johnson J, Hall LH, Berzins K, Baker J, Melling K, Thompson C. Mental healthcare staff well-being and burnout: A narrative review of trends, causes, implications, and recommendations for future interventions. Int J Ment Health Nurs. 2018;27(1):20-32. doi: http://doi. org/10.1111/inm.12416

Hannigan B, Simpson A, Coffey M, Barlow S, Jones A. Care Coordination as Imagined, Care Coordination as Done: Findings from a Cross-national Mental Health Systems Study. Int J Integrated Care. 2018;18(3): 12:1- 14. doi: http://doi.org/10.5334/ijic.3978

Forouzan AS, Ghazinour M, Dejman M, Rafeiey H, Baradaran Eftekhari M, San Sebastian M. Service users and providers expectations of mental health care in Iran: A qualitative study. Iran J Public Health. 2013;42(10):1106-16

Polacek MJ, Allen DE, Damin-Moss RS, Schwartz AJA, Sharp D, Shattell M, et al. Engagement as an Element of Safe Inpatient Psychiatric Environments. J Am Psychiatr Nurs Assoc. 2015;21(3):181-90. doi: http:// doi.org/10.1177/1078390315593107

Grant C, Ballard ED, Olson-Madden JH. An Empowerment Approach to Family Caregiver Involvement in Suicide Prevention: Implications for Practice. Fam J. 2015;23(3):295-304. doi: http://doi. org/10.1177/1066480715572962

Ashmore T, Spangaro J, Mcnamara L. ‘I was raped by Santa Claus’: Responding to disclosures of sexual assault in mental health inpatient facilities. Int J Ment Health Nurs. 2015;24(2):139-48. doi: http://doi.org/10.1111/ inm.12114

Slemon A, Jenkins E, Bungay V. Safety in psychiatric inpatient care: The impact of risk management culture on mental health nursing practice. Nurs Inquiry. 2017; 24(4):e12199. doi: http://doi.org/10.1111/nin.12199

Reeves E, Henshall C, Hutchinson M, Jackson D. Safety of service users with severe mental illness receiving inpatient care on medical and surgical wards: A systematic review. Int J Ment Health Nurs. 2018;27(1):46-60. doi: http://doi.org/10.1111/inm.12426

Sandra M, Scott BP, Heather S, Bonnie K, Joy CM. Beyond silence: protocol for a randomized parallel-group trial comparing two approaches to workplace mental health education for healthcare employees. BMC Med Educ. 2015;15:78. doi: http://doi.org/10.1186/ s12909-015-0363-9

Margaret O, Conal W, Sean H. Violence within mental health services: how to enhance risk management. Risk Manag Healthc Policy. 2018:11 159-67. doi: http://doi. org/10.2147/RMHP.S131834

Duarte P, Segunda CA, Medeiros AT. Psychiatric reform in the context of anti-asylum movement struggle in Joao Pessoa - PB. [Internet]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; 2013. Available from: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/13806

Ministério da Saúde (BR). Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? [Internet]. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Brasília, DF; 2018. p. 1–78. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ politica_nacional_educacao_permanente_saude_ fortalecimento.pdf

Lima MEP de, Cortez EA, Fernandes FC, Xavier SC da M, Almeida VLA de. Permanent health education: vital strategy for safe practices. Res Soc Dev. 2020 Jun 10;9(7):721974802. doi: http://doi.org/10.33448/ rsd-v9i7.4802

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Lima, M. E. P. de, Cortez, E. A., Almeida, V. L. A. de ., Xavier, S. C. da M., & Fernandes , F. C. (2021). O ato de cuidar em saúde mental: aspectos alinhados à cultura de segurança do paciente. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 17(2), 92-103. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2021.168515