É bomba! É tiro! É violência! A guerra às drogas na Cracolândia paulistana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.176562

Palavras-chave:

Cocaína Crack, Violência, Políticas Públicas, Prevenção de Doenças, Promoção da Saúde

Resumo

Objetivo: analisar e promover uma reflexão sobre a relação estabelecida entre a polícia, as pessoas e o território onde são utilizadas substâncias psicoativas. Método: realizou-se uma pesquisa etnográfica a partir de observação participante com a construção de diário de campo. Os participantes da observação foram as pessoas que fazem uso de drogas nas cenas de uso e/ou que frequentam a Organização Não Governamental participante do estudo e os agentes redutores de danos da mesma. O estudo foi desenvolvido em 2018 na cidade de São Paulo. Para a análise dos dados, utilizou-se a Teoria Interpretativa. Resultados: a violência policial está presente diariamente na vida das pessoas que estão dentro
do fluxo da Cracolândia. Todos sofrem com os atos violentos: as pessoas que usam drogas, os agentes redutores de danos e até mesmo os profissionais que estão lá para promover saúde e cuidado. Há tiros, bombas e repressão, mas, mesmo assim, a resistência persiste. Conclusão: no território da
Cracolândia persiste a guerra às drogas. Essa política de Estado higienista e separatista faz com que as pessoas que usam drogas estejam cada vez mais excluídas da sociedade, sem direitos e sem cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-06-09

Como Citar

de Oliveira Camargo, P., Mandagará de Oliveira, M., Sedrês Carvalho Lemos, D., & Irigonhé Ramos, C. (2022). É bomba! É tiro! É violência! A guerra às drogas na Cracolândia paulistana. SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 18(1), 57-67. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.176562