Impacto da exigência do exame para substâncias psicoativas no consumo de anfetaminas por caminhoneiros

Autores

  • Maria Luiza Martins Flôr Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Porto Alegre, RS, Brasil. Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimentos Científico e Tecnológico (CNPq), Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3606-2329
  • Mireila Ribeiro Spiering Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Porto Alegre, RS, Brasil. Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimentos Científico e Tecnológico (CNPq), Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6309-097X
  • Pedro Henrique Jost Wagner Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9773-1402
  • Arthur Royer Mombach Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9221-6949
  • Margareth da Silva Oliveira Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6490-5170
  • Flávia Valladão Thiesen Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4907-6789

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.182636

Palavras-chave:

Anfetaminas, Acidentes de Trânsito, Exame para Habilitação de Motoristas, Saúde do Trabalhador

Resumo

Objetivo: avaliar o impacto da exigência do exame para drogas em cabelos no consumo de anfetaminas por motoristas de caminhão. Método: realizou-se um estudo exploratório descritivo, de corte transversal, com coleta de dados na Região Metropolitana da capital do Rio Grande do Sul. Para caracterizar a população e avaliar o impacto da exigência do exame, foi aplicado um instrumento estruturado com perguntas a respeito de informações pessoais, ocupacionais, uso de anfetaminas, sobre a Lei nº 13.103/2015 e o teste em cabelo. Resultados: foram entrevistados 97 motoristas, com idade média de 38 anos, sendo 99% do gênero masculino. Sobre o uso de anfetaminas, 20,6% admitiram fazer uso dessa substância, sendo possível observar que o número de usuários é maior entre os motoristas autônomos e que percorrem longas distâncias (p<0,05). Conclusão: este estudo indica que a exigência da realização de exames para a detecção do uso de drogas em cabelos não reduziu o consumo de anfetaminas por motoristas de caminhão. As demais informações coletadas apontam, como possíveis causas, as condições de trabalho e as péssimas condições das estradas, as quais exigem a realização de longas jornadas de trabalho, bem como a facilidade para adquirir drogas e laudos falsos para os exames.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-07-22

Como Citar

Flôr, M. L. M., Spiering, M. R. ., Wagner, P. H. J. ., Mombach, A. R. ., Oliveira, M. da S. ., & Thiesen, F. V. . (2022). Impacto da exigência do exame para substâncias psicoativas no consumo de anfetaminas por caminhoneiros. SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 18(2), 88-95. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.182636

Dados de financiamento