Representações do uso de tatuagem e piercing

Autores

  • Aline Cristina Dadalte Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Marina de Carvalho Mariano Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Luiz Jorge Pedrão Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Gabriela Bazan Pedrão Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
  • Enio José Porfirio Soares Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v9i1p41-47

Palavras-chave:

Ego; Tatuagem; Piercing Corporal; Preconceito

Resumo

O presente estudo investigou diversas representações identitárias da tatuagem e do piercing para seus usuários, bem como os preconceitos relacionados a esses. Para isso, foram entrevistados 10 sujeitos portadores de tais adornos. Os resultados apontaram três diferentes categorias de representações para os portadores de adornos: complemento estético, significação pré-estabelecida do desenho e marca permanente de um momento significativo na vida. Divergências nas representações desses tipos de enfeites são responsáveis por gerar atitudes preconceituosas para com aqueles que os possuem. Mesmo frente à discriminação e ao caráter estigmatizado trazido pelos adornos, os entrevistados relataram não terem se arrependido por optar pelo seu uso, o que pode ser considerado um fator constituinte da identidade, seja essa pessoal ou grupal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-04-01

Como Citar

Dadalte, A. C., Mariano, M. de C., Pedrão, L. J., Pedrão, G. B., & Soares, E. J. P. (2013). Representações do uso de tatuagem e piercing. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 9(1), 41-47. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v9i1p41-47

Edição

Seção

Artigo Original de Chamada