https://www.revistas.usp.br/smad/issue/feed SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) 2022-01-06T06:41:07-03:00 SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental, Álcool e Drogas smad@eerp.usp.br Open Journal Systems <p><strong>SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas</strong> é uma revista on line, de acesso aberto, avaliada por pares, que recebe manuscritos de pesquisas que abordam todos os aspectos da saúde mental, uso de álcool, tabaco e outras drogas psicotrópicas sob diversos enfoques (psicossocial e da neurociência).</p> <p>São aceitas contribuições de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento cujo objeto de pesquisa se refira aos conteúdos apresentados.</p> <p><strong><em>Idioma de submissão</em></strong></p> <p>Português, inglês ou espanhol</p> <p><strong><em>Missão</em></strong></p> <p>Compartilhar experiências e conhecimento produzidos por trabalhadores e pesquisadores da área de saúde mental, álcool e drogas.</p> https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/161675 A periculosidade como dispositivo nas publicações sobre os “loucos-criminosos”: uma revisão integrativa da literatura 2020-12-08T15:37:29-03:00 Luiz Guilherme Araújo Gomes luizguilherme.araujogomes@gmail.com Reni Barsaglini barsaglinireni@gmail.com <p>Objetivo: analisar a “periculosidade” como um dispositivo a partir das publicações que se encontram nos campos das Ciências Sociais, Humanas e da Saúde. Método: revisão integrativa das publicações disponíveis nas bases de dados da PUBMED, MEDLINE, LILACS, SCIELO e a BDTD, entre os anos de 2014 a 2017. Foi utilizada a análise temática para tratamento e análise dos dados. Resultado: foram selecionadas 43 produções, organizadas em grupos que apontam os elementos que compõe o dispositivo, entre eles o entrelaçamento de saberes, risco, culpa e estratégias de intervenção. Conclusão: tomar a periculosidade como um dispositivo expõe uma série de relações de saber-poder que se reproduzem ao longo do tempo, mas permite também estabelecer outras estratégias de intervenção para o processo de reintegração social destes sujeitos.</p> 2022-01-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155433 Perfil sociodemográfico e de dependência química dos usuários de um Centro de Atenção Psicossocial especializado 2021-01-26T14:12:15-03:00 Gliciane Vasconcelos Santana falarcomgli@hotmail.com Joyce Lorena Santana Santos joyce_lorena.97@hotmail.com José Marcos de Jesus Santos jsmarcos@usp.br Letícia de Jesus Alves alvesleticia.ufs@hotmail.com Andreia Freire de Menezes deiamenezes1@hotmail.com Carla Kalline Alves Cartaxo Freitas carlakalline@gmail.com <p>Objetivo: identificar o perfil sociodemográfico e de dependência química dos usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas. Método: estudo transversal e retrospectivo realizado por meio de consulta a 360 prontuários. Resultados: a maioria dos usuários era do sexo masculino (91,1%; n = 328), analfabeta/Ensino Fundamental (70,8%; n = 255), vivia sem companheira(o) (76,9%; n = 277) e morava na zona urbana (63,3%; n = 228). O uso simultâneo de múltiplas drogas foi encontrado em 43,5% (n = 157) e a dependência exclusiva de álcool em 40,4% (n = 146). Conclusão: evidenciou-se predomínio de homens solteiros com baixa escolaridade e em dependência de múltiplas drogas e/ou de álcool. Esse conhecimento é relevante para propostas de estratégias baseadas em evidências.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163263 Incidência da síndrome de Burnout em militares do exército brasileiro na região amazônica 2021-01-18T10:46:52-03:00 Yonel Ricardo de Souza yonel.souza@gmail.com Fabio Biasotto Feitosa fabiobfeitosa@gmail.com Gabrielle Selleri Bezerra gbselleri@gmail.com <p>Objetivo: este estudo teve como objetivo investigar os níveis de Burnout e possíveis fatores predisponentes entre militares do Exército Brasileiro que estavam servindo na Amazônia Brasileira. Método: a amostra foi composta por 122 militares (oficiais e sargentos) voluntários com idade média de 36,80 ± 6,69 anos, 53 empregados nas missões operacionais (segurança nas fronteiras, patrulha, exercícios de defesa externa e interna) e 69 empregados nas missões administrativas (logística interna). Foram selecionados oficiais (29) e sargentos (93) servindo em Porto Velho, noroeste do Brasil. Eles responderam a um questionário sociodemográfico e ao Malash Burnout Inventory, validado para o Brasil. Resultados: os resultados mostraram que os níveis de esgotamento nos militares do Exército que servem na região são altos. As principais condições sociodemográficas, trabalhistas, físicas e sociais associadas a níveis significativamente mais altos de esgotamento no presente estudo foram: redução do tempo de serviço, estilo de vida sedentário, trabalho extra, menor hierarquia e morar longe dos familiares. Conclusão: a interação entre os dois instrumentos constatou que os militares que atuam na área operacional, entre 6 e 10 anos de serviço, solteiros, que exercem pouca atividade física e cujos familiares moram longe foram os que possuíam o maiores níveis de Burnout.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/169597 Regulamentação do consumo de Cannabis no Uruguai e suas influências sobre a fronteira brasileira 2020-07-24T17:49:22-03:00 Diogo Henrique Tavares enf.diogotavares@gmail.com Vanda Maria da Rosa Jardim vandamrjardim@gmail.com Beatriz Franchini beatrizfranchini@hotmail.com Heitor Silva Biondi enf.heitor@hotmail.com Cândida Garcia Sinott Silveira Rodrigues candidasinott@hotmail.com Jéssica Stragliotto Bazzan jessica_bazzan@hotmail.com <p>Objetivo: conhecer as influências da regulamentação do consumo da Cannabis no Uruguai sobre o consumo desta substância psicoativa na região de fronteira com o Brasil. Método: estudo qualitativo, exploratório e descritivo. Participaram 14 pessoas que usam Cannabis, residentes em uma cidade da fronteira Brasil/Uruguai. Dados coletados por entrevista semiestruturada, analisados através da Análise de Conteúdo. Resultado: as transformações sociais estão relacionadas com a aceitação social do consumo; visualização de pessoas idosas que utilizam a substância e maior interação entre pessoas que usam Cannabis dos países envolvidos. As transformações no consumo estão relacionadas com a possibilidade de se adquirir Cannabis in natura, disponibilidade de variados tipos e subespécies da planta e o fluxo de brasileiros para realizar o consumo no lado uruguaio da fronteira. Conclusão: investigar espaços de fusão social, cultural e política, pode servir para reflexão acerca do atual cenário brasileiro, e implementação de ações que busquem salvaguardar os direitos humanos, respeitando a autonomia, e cuidando sobre a perspectiva de saúde.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/170253 Modelos preditivos para o uso problemático de álcool entre universitários da saúde 2020-12-17T10:40:30-03:00 Naiara Gajo Silva naiaragajos@gmail.com Guilherme Oliveira de Arruda enfgoa@gmail.com Sara da Silva Targa sarah_bbu@hotmail.com Emily Harumi Arruda Itto Pereira emilyharumi@hotmail.com Fabiana Moretto Oliveira do Prado fabianamoretto22@gmail.com Hellen Cristina Almeida Abreu de Lara afanany1@gmail.com <p>Objetivo: identificar a prevalência e os preditores para o uso problemático de álcool entre estudantes universitários da área da saúde. Estudo transversal, realizado com 1.497 universitários de 11 cursos da saúde, na região metropolitana de Cuiabá-MT, Brasil. Método: utilizou-se o Teste para Identificação de Problemas Relacionados ao Uso de Álcool. Aplicou-se a regressão de Poisson e estimou-se a Razão de Prevalência. Resultados: a prevalência de uso problemático de álcool foi de 23,6%. Identificou-se consumo problemático de álcool entre homens, solteiros, que moravam sozinhos, que se consideravam agressivos e que usavam o álcool em momentos festivos para relaxar, ter prazer e melhorar a interação social. Aquele que morava com cônjuge e/ou filhos, estava no 2º ano do curso, não percebeu mudanças no padrão de consumo na faculdade; o não participante de atléticas, que se considerava calmo e introvertido e bebia por problemas ou “nervosismo” apresentou uso problemático de álcool menos frequente. Conclusão: a busca por socialização influencia o uso de álcool entre universitários. Sugere-se que a manutenção do padrão de consumo anterior ao início da graduação os protege. Os modelos são multideterminados e requerem, de instituições de ensino, entidades estudantis e equipes de saúde, ações oportunas.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/171923 Classificação do risco de consumo de álcool de gestantes nos últimos 12 meses e durante a gravidez 2021-01-22T10:36:56-03:00 Geovana Carisani Possa geopossa@gmail.com Angelica Martins de Souza Gonçalves angelicamartins@ufscar.br Sonia Regina Zerbetto szerbetto@ufscar.br Silvia Mara Carvalho Silva silvinha_smcs_sf@hotmail.com Adaene Alves Machado de Moura adaene_moura@hotmail.com Fernando José Guedes da Silva Júnior fernandoguedesjr@gmail.com <p>Objetivo: classificar o risco de consumo de álcool de gestantes nos últimos 12 meses (baixo risco, risco, nocivo e provável dependência) e durante a gravidez (negativo ou positivo). Método: trata-se de um estudo observacional, transversal e descritivo desenvolvido com 118 gestantes usuárias do SUS de dois municípios. Para a coleta de dados, aplicaram-se os testes AUDIT e TACE por meio de entrevista. Resultados: observou-se que 94,9% das entrevistadas faziam uso frequente do álcool antes da gravidez e 34,7% fizeram seu uso sem ter conhecimento da gravidez vigente. Quanto ao padrão de uso durante a gestação, a maioria das gestantes (86,4%) referiu não utilizar ou utilizar dentro de limites de “baixo risco”, no entanto, foram verificadas associações entre o consumo pregresso de álcool das mulheres e o consumo durante o período gravídico, bem como associações entre o consumo de álcool nos últimos 12 meses antes da gestação e os escores que representam o consumo durante o período gravídico. Conclusão: compreender o consumo de álcool por gestantes permite contribuir com diagnósticos precoces de vulnerabilidade e com o planejamento de intervenções para estabelecer uma gestação segura e saudável.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/174432 O consumo de substâncias psicoativas entre pessoas idosas: um olhar complexo 2020-12-21T15:37:58-03:00 Vania Dias Cruz vania_diascruz@hotmail.com Silvana Sidney Costa Santos silvana.sidney@gmail.com Michele Mandagará de Oliveira mandagara@gmail.com Cristiane Lima de Moraes krismoraes31@hotmail.com Paola Camargo de Oliveira paolacamargo01@hotmail.com <p>Objetivo: descrever o padrão de consumo de substâncias psicoativas entre pessoas idosas sob a ótica da complexidade. Método: qualitativo do tipo estudo de caso múltiplo, realizado com onze pessoas idosas no domicílio/serviço de saúde; os dados foram coletados através de documentos, observação assistemática e entrevista semiestruturada; foram analisados de forma geral, analítica e teórica por meio da comparação dos casos; teve como eixo teórico a complexidade, sendo aprovado pelo comitê de ética em pesquisa. Resultados: quanto ao padrão de consumo de substâncias psicoativas foram achados dois temas: encontro com a substância, que identificou pessoas idosas utilizando substâncias lícitas e ilícitas, e formas de consumo; consequências e motivações do consumo e/ou abandono das drogas. São consequências as perdas materiais/econômicas e criminalidade, e, motivações a socialização e fuga do estresse/ansiedade. Os idosos que pararam ou diminuíram o consumo aderiram à estratégia de redução de danos. Conclusão: evidenciou-se o consumo de substâncias psicoativas por pessoas idosas, verificando-se espaço para o sucesso de intervenções de saúde/enfermagem com a criação de ações/programas de abordagem específica para redução de danos.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176380 Percepções e vivências da Enfermagem quanto à proibição do tabagismo em um hospital psiquiátrico 2020-12-03T15:03:43-03:00 Renata Marques de Oliveira renata_marques@outlook.com Antonia Regina Ferreira Furegato furegato@eerp.usp.br <p>Objetivo: conhecer a experiência dos profissionais de Enfermagem diante da implementação da proibição do tabagismo em um hospital psiquiátrico. Método: realizou-se um estudo qualitativo com 73 profissionais de Enfermagem de um hospital psiquiátrico do interior paulista utilizando a teoria Fundamentada nos Dados como referencial metodológico e o Interacionismo Simbólico como referencial teórico. Realizaram-se 1260 horas de observação participante com registros em diário de campo. Os dados foram analisados a partir das codificações aberta, axial e seletiva. Resultados: observaram-se diferentes facetas da proibição do fumo, tais como insegurança, pessimismo, resistência e boicote, especialmente na unidade de internação privada. Entretanto, muitos profissionais da Enfermagem apoiaram a proibição quando constataram os benefícios para os pacientes. Considerações finais: o processo de implementação da proibição do tabagismo foi acompanhado por dificuldades, porém, mostrou-se uma intervenção viável. Profissionais que inicialmente eram contra a proibição passaram a apoiá-la.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176488 Uso de hipnóticos, qualidade do sono e síndrome de Burnout em estudantes de medicina 2021-01-11T15:20:59-03:00 Emmanuella Passos Chaves emmanuella_lela@hotmail.com Talita Mendes Bezerra Ximenes talitabezerra_@hotmail.com Priscila Brasil de Carvalho Rocha priscilabcr@gmail.com Marcos Kubrusly mmkubrusly@gmail.com Raquel Autran Coelho Peixoto raquelautrancp@gmail.com Arnaldo Aires Peixoto Junior arnaldoapj@gmail.com <p>Objetivo: o objetivo deste estudo foi investigar possíveis associações entre Burnout, uso de hipnóticos e qualidade do sono em estudantes de medicina. Método: foi realizado um estudo transversal quantitativo com estudantes de medicina de um centro universitário do nordeste do Brasil, com metodologia de Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP). O Maslach Burnout Inventory-Student Survey, o Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) e um questionário sociodemográfico foram aplicados entre os alunos do pré-internato do curso. Resultados: o estudo incluiu 523 alunos e encontrou 48 (9,2%) com critérios de diagnóstico tridimensional para Síndrome de Burnout (SB). A má qualidade do sono e o uso de hipnóticos para dormir foram associados à SB (p &lt; 0,001 e p = 0,003, respectivamente). Não houve diferenças estatísticas quanto à idade, sexo, religião, estado civil, financiamento escolar e realização de trabalho remunerado, entre indivíduos com e sem SB. Conclusão: houve associação entre SB, uso de hipnóticos e má qualidade do sono em estudantes de medicina pré-internato.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176976 Saúde mental na Atenção Primária: (des)encontros entre enfermeiros e pacientes com diagnóstico de esquizofrenia 2020-12-08T16:10:54-03:00 Débora Cristina Joaquina Rosa rodrigosanchesperes@yahoo.com.br Daiane Márcia de Lima rodrigosanchesperes@yahoo.com.br Rodrigo Sanches Peres rodrigosanchesperes@yahoo.com.br <p>Objetivo: compreender o imaginário coletivo sobre pacientes com diagnóstico de esquizofrenia por parte de enfermeiros inseridos na Atenção Primária, com foco em suas possíveis reverberações no tocante à atenção em saúde mental. Método: pesquisa qualitativa, orientada pelo método investigativo psicanalítico, desenvolvida junto a 15 enfermeiros. O instrumento utilizado foi o Procedimento de Desenho-Estória com Tema, e os dados coletados foram interpretados psicanaliticamente visando à captação dos campos de sentido. Resultados: no imaginário coletivo da maioria dos participantes, ocupa lugar central a crença de que o acompanhamento de pacientes com diagnóstico de esquizofrenia é responsabilidade exclusiva de profissionais e/ou serviços de saúde “especializados”, o que aparentemente atravessa, de modo marcante, os (des)encontros que se estabelecem entre os enfermeiros e os referidos pacientes. Conclusão: essa crença é incompatível com os preceitos da Reforma Psiquiátrica Brasileira e com o papel a ser desempenhado, na Atenção Primária, pelos enfermeiros.</p> 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/193936 A saúde mental em diferentes populações e contextos 2022-01-04T17:19:17-03:00 Kelly Graziani Giacchero Vedana kellygiacchero@eerp.usp.br 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/193938 Primeira ajuda em saúde mental: um contributo para uma sociedade mais saudável 2022-01-04T17:56:34-03:00 Carlos Sequeira carlossequeira@esenf.pt 2021-12-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021