SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://www.revistas.usp.br/smad <p><strong>SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas</strong> é uma revista on line, de acesso aberto, avaliada por pares, que recebe manuscritos de pesquisas que abordam todos os aspectos da saúde mental, uso de álcool, tabaco e outras drogas psicotrópicas sob diversos enfoques (psicossocial e da neurociência).</p> <p>São aceitas contribuições de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento cujo objeto de pesquisa se refira aos conteúdos apresentados.</p> <p><strong><em>Idioma de submissão</em></strong></p> <p>Português, inglês ou espanhol</p> <p><strong><em>Missão</em></strong></p> <p>Compartilhar experiências e conhecimento produzidos por trabalhadores e pesquisadores da área de saúde mental, álcool e drogas.</p> pt-BR smad@eerp.usp.br (SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental, Álcool e Drogas) smad@eerp.usp.br (Seção de Comunicação e Publicações - EERP/USP) Qui, 06 Jan 2022 06:41:07 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 A periculosidade como dispositivo nas publicações sobre os “loucos-criminosos”: uma revisão integrativa da literatura https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/161675 <p>Objetivo: analisar a “periculosidade” como um dispositivo a partir das publicações que se encontram nos campos das Ciências Sociais, Humanas e da Saúde. Método: revisão integrativa das publicações disponíveis nas bases de dados da PUBMED, MEDLINE, LILACS, SCIELO e a BDTD, entre os anos de 2014 a 2017. Foi utilizada a análise temática para tratamento e análise dos dados. Resultado: foram selecionadas 43 produções, organizadas em grupos que apontam os elementos que compõe o dispositivo, entre eles o entrelaçamento de saberes, risco, culpa e estratégias de intervenção. Conclusão: tomar a periculosidade como um dispositivo expõe uma série de relações de saber-poder que se reproduzem ao longo do tempo, mas permite também estabelecer outras estratégias de intervenção para o processo de reintegração social destes sujeitos.</p> Luiz Guilherme Araújo Gomes, Reni Barsaglini Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/161675 Qui, 06 Jan 2022 00:00:00 -0300 Perfil sociodemográfico e de dependência química dos usuários de um Centro de Atenção Psicossocial especializado https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155433 <p>Objetivo: identificar o perfil sociodemográfico e de dependência química dos usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas. Método: estudo transversal e retrospectivo realizado por meio de consulta a 360 prontuários. Resultados: a maioria dos usuários era do sexo masculino (91,1%; n = 328), analfabeta/Ensino Fundamental (70,8%; n = 255), vivia sem companheira(o) (76,9%; n = 277) e morava na zona urbana (63,3%; n = 228). O uso simultâneo de múltiplas drogas foi encontrado em 43,5% (n = 157) e a dependência exclusiva de álcool em 40,4% (n = 146). Conclusão: evidenciou-se predomínio de homens solteiros com baixa escolaridade e em dependência de múltiplas drogas e/ou de álcool. Esse conhecimento é relevante para propostas de estratégias baseadas em evidências.</p> Gliciane Vasconcelos Santana, Joyce Lorena Santana Santos, José Marcos de Jesus Santos, Letícia de Jesus Alves, Andreia Freire de Menezes, Carla Kalline Alves Cartaxo Freitas Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/155433 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Incidência da síndrome de Burnout em militares do exército brasileiro na região amazônica https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163263 <p>Objetivo: este estudo teve como objetivo investigar os níveis de Burnout e possíveis fatores predisponentes entre militares do Exército Brasileiro que estavam servindo na Amazônia Brasileira. Método: a amostra foi composta por 122 militares (oficiais e sargentos) voluntários com idade média de 36,80 ± 6,69 anos, 53 empregados nas missões operacionais (segurança nas fronteiras, patrulha, exercícios de defesa externa e interna) e 69 empregados nas missões administrativas (logística interna). Foram selecionados oficiais (29) e sargentos (93) servindo em Porto Velho, noroeste do Brasil. Eles responderam a um questionário sociodemográfico e ao Malash Burnout Inventory, validado para o Brasil. Resultados: os resultados mostraram que os níveis de esgotamento nos militares do Exército que servem na região são altos. As principais condições sociodemográficas, trabalhistas, físicas e sociais associadas a níveis significativamente mais altos de esgotamento no presente estudo foram: redução do tempo de serviço, estilo de vida sedentário, trabalho extra, menor hierarquia e morar longe dos familiares. Conclusão: a interação entre os dois instrumentos constatou que os militares que atuam na área operacional, entre 6 e 10 anos de serviço, solteiros, que exercem pouca atividade física e cujos familiares moram longe foram os que possuíam o maiores níveis de Burnout.</p> Yonel Ricardo de Souza, Fabio Biasotto Feitosa, Gabrielle Selleri Bezerra Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/163263 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Regulamentação do consumo de Cannabis no Uruguai e suas influências sobre a fronteira brasileira https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/169597 <p>Objetivo: conhecer as influências da regulamentação do consumo da Cannabis no Uruguai sobre o consumo desta substância psicoativa na região de fronteira com o Brasil. Método: estudo qualitativo, exploratório e descritivo. Participaram 14 pessoas que usam Cannabis, residentes em uma cidade da fronteira Brasil/Uruguai. Dados coletados por entrevista semiestruturada, analisados através da Análise de Conteúdo. Resultado: as transformações sociais estão relacionadas com a aceitação social do consumo; visualização de pessoas idosas que utilizam a substância e maior interação entre pessoas que usam Cannabis dos países envolvidos. As transformações no consumo estão relacionadas com a possibilidade de se adquirir Cannabis in natura, disponibilidade de variados tipos e subespécies da planta e o fluxo de brasileiros para realizar o consumo no lado uruguaio da fronteira. Conclusão: investigar espaços de fusão social, cultural e política, pode servir para reflexão acerca do atual cenário brasileiro, e implementação de ações que busquem salvaguardar os direitos humanos, respeitando a autonomia, e cuidando sobre a perspectiva de saúde.</p> Diogo Henrique Tavares, Vanda Maria da Rosa Jardim, Beatriz Franchini, Heitor Silva Biondi, Cândida Garcia Sinott Silveira Rodrigues, Jéssica Stragliotto Bazzan Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/169597 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Modelos preditivos para o uso problemático de álcool entre universitários da saúde https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/170253 <p>Objetivo: identificar a prevalência e os preditores para o uso problemático de álcool entre estudantes universitários da área da saúde. Estudo transversal, realizado com 1.497 universitários de 11 cursos da saúde, na região metropolitana de Cuiabá-MT, Brasil. Método: utilizou-se o Teste para Identificação de Problemas Relacionados ao Uso de Álcool. Aplicou-se a regressão de Poisson e estimou-se a Razão de Prevalência. Resultados: a prevalência de uso problemático de álcool foi de 23,6%. Identificou-se consumo problemático de álcool entre homens, solteiros, que moravam sozinhos, que se consideravam agressivos e que usavam o álcool em momentos festivos para relaxar, ter prazer e melhorar a interação social. Aquele que morava com cônjuge e/ou filhos, estava no 2º ano do curso, não percebeu mudanças no padrão de consumo na faculdade; o não participante de atléticas, que se considerava calmo e introvertido e bebia por problemas ou “nervosismo” apresentou uso problemático de álcool menos frequente. Conclusão: a busca por socialização influencia o uso de álcool entre universitários. Sugere-se que a manutenção do padrão de consumo anterior ao início da graduação os protege. Os modelos são multideterminados e requerem, de instituições de ensino, entidades estudantis e equipes de saúde, ações oportunas.</p> Naiara Gajo Silva, Guilherme Oliveira de Arruda, Sara da Silva Targa, Emily Harumi Arruda Itto Pereira, Fabiana Moretto Oliveira do Prado, Hellen Cristina Almeida Abreu de Lara Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/170253 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Classificação do risco de consumo de álcool de gestantes nos últimos 12 meses e durante a gravidez https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/171923 <p>Objetivo: classificar o risco de consumo de álcool de gestantes nos últimos 12 meses (baixo risco, risco, nocivo e provável dependência) e durante a gravidez (negativo ou positivo). Método: trata-se de um estudo observacional, transversal e descritivo desenvolvido com 118 gestantes usuárias do SUS de dois municípios. Para a coleta de dados, aplicaram-se os testes AUDIT e TACE por meio de entrevista. Resultados: observou-se que 94,9% das entrevistadas faziam uso frequente do álcool antes da gravidez e 34,7% fizeram seu uso sem ter conhecimento da gravidez vigente. Quanto ao padrão de uso durante a gestação, a maioria das gestantes (86,4%) referiu não utilizar ou utilizar dentro de limites de “baixo risco”, no entanto, foram verificadas associações entre o consumo pregresso de álcool das mulheres e o consumo durante o período gravídico, bem como associações entre o consumo de álcool nos últimos 12 meses antes da gestação e os escores que representam o consumo durante o período gravídico. Conclusão: compreender o consumo de álcool por gestantes permite contribuir com diagnósticos precoces de vulnerabilidade e com o planejamento de intervenções para estabelecer uma gestação segura e saudável.</p> Geovana Carisani Possa, Angelica Martins de Souza Gonçalves, Sonia Regina Zerbetto, Silvia Mara Carvalho Silva, Adaene Alves Machado de Moura, Fernando José Guedes da Silva Júnior Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/171923 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 O consumo de substâncias psicoativas entre pessoas idosas: um olhar complexo https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/174432 <p>Objetivo: descrever o padrão de consumo de substâncias psicoativas entre pessoas idosas sob a ótica da complexidade. Método: qualitativo do tipo estudo de caso múltiplo, realizado com onze pessoas idosas no domicílio/serviço de saúde; os dados foram coletados através de documentos, observação assistemática e entrevista semiestruturada; foram analisados de forma geral, analítica e teórica por meio da comparação dos casos; teve como eixo teórico a complexidade, sendo aprovado pelo comitê de ética em pesquisa. Resultados: quanto ao padrão de consumo de substâncias psicoativas foram achados dois temas: encontro com a substância, que identificou pessoas idosas utilizando substâncias lícitas e ilícitas, e formas de consumo; consequências e motivações do consumo e/ou abandono das drogas. São consequências as perdas materiais/econômicas e criminalidade, e, motivações a socialização e fuga do estresse/ansiedade. Os idosos que pararam ou diminuíram o consumo aderiram à estratégia de redução de danos. Conclusão: evidenciou-se o consumo de substâncias psicoativas por pessoas idosas, verificando-se espaço para o sucesso de intervenções de saúde/enfermagem com a criação de ações/programas de abordagem específica para redução de danos.</p> Vania Dias Cruz, Silvana Sidney Costa Santos, Michele Mandagará de Oliveira, Cristiane Lima de Moraes, Paola Camargo de Oliveira Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/174432 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Percepções e vivências da Enfermagem quanto à proibição do tabagismo em um hospital psiquiátrico https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176380 <p>Objetivo: conhecer a experiência dos profissionais de Enfermagem diante da implementação da proibição do tabagismo em um hospital psiquiátrico. Método: realizou-se um estudo qualitativo com 73 profissionais de Enfermagem de um hospital psiquiátrico do interior paulista utilizando a teoria Fundamentada nos Dados como referencial metodológico e o Interacionismo Simbólico como referencial teórico. Realizaram-se 1260 horas de observação participante com registros em diário de campo. Os dados foram analisados a partir das codificações aberta, axial e seletiva. Resultados: observaram-se diferentes facetas da proibição do fumo, tais como insegurança, pessimismo, resistência e boicote, especialmente na unidade de internação privada. Entretanto, muitos profissionais da Enfermagem apoiaram a proibição quando constataram os benefícios para os pacientes. Considerações finais: o processo de implementação da proibição do tabagismo foi acompanhado por dificuldades, porém, mostrou-se uma intervenção viável. Profissionais que inicialmente eram contra a proibição passaram a apoiá-la.</p> Renata Marques de Oliveira, Antonia Regina Ferreira Furegato Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176380 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Uso de hipnóticos, qualidade do sono e síndrome de Burnout em estudantes de medicina https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176488 <p>Objetivo: o objetivo deste estudo foi investigar possíveis associações entre Burnout, uso de hipnóticos e qualidade do sono em estudantes de medicina. Método: foi realizado um estudo transversal quantitativo com estudantes de medicina de um centro universitário do nordeste do Brasil, com metodologia de Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP). O Maslach Burnout Inventory-Student Survey, o Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) e um questionário sociodemográfico foram aplicados entre os alunos do pré-internato do curso. Resultados: o estudo incluiu 523 alunos e encontrou 48 (9,2%) com critérios de diagnóstico tridimensional para Síndrome de Burnout (SB). A má qualidade do sono e o uso de hipnóticos para dormir foram associados à SB (p &lt; 0,001 e p = 0,003, respectivamente). Não houve diferenças estatísticas quanto à idade, sexo, religião, estado civil, financiamento escolar e realização de trabalho remunerado, entre indivíduos com e sem SB. Conclusão: houve associação entre SB, uso de hipnóticos e má qualidade do sono em estudantes de medicina pré-internato.</p> Emmanuella Passos Chaves, Talita Mendes Bezerra Ximenes, Priscila Brasil de Carvalho Rocha, Marcos Kubrusly, Raquel Autran Coelho Peixoto, Arnaldo Aires Peixoto Junior Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176488 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Saúde mental na Atenção Primária: (des)encontros entre enfermeiros e pacientes com diagnóstico de esquizofrenia https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176976 <p>Objetivo: compreender o imaginário coletivo sobre pacientes com diagnóstico de esquizofrenia por parte de enfermeiros inseridos na Atenção Primária, com foco em suas possíveis reverberações no tocante à atenção em saúde mental. Método: pesquisa qualitativa, orientada pelo método investigativo psicanalítico, desenvolvida junto a 15 enfermeiros. O instrumento utilizado foi o Procedimento de Desenho-Estória com Tema, e os dados coletados foram interpretados psicanaliticamente visando à captação dos campos de sentido. Resultados: no imaginário coletivo da maioria dos participantes, ocupa lugar central a crença de que o acompanhamento de pacientes com diagnóstico de esquizofrenia é responsabilidade exclusiva de profissionais e/ou serviços de saúde “especializados”, o que aparentemente atravessa, de modo marcante, os (des)encontros que se estabelecem entre os enfermeiros e os referidos pacientes. Conclusão: essa crença é incompatível com os preceitos da Reforma Psiquiátrica Brasileira e com o papel a ser desempenhado, na Atenção Primária, pelos enfermeiros.</p> Débora Cristina Joaquina Rosa, Daiane Márcia de Lima, Rodrigo Sanches Peres Copyright (c) 2021 SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/br/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/176976 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 A saúde mental em diferentes populações e contextos https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/193936 Kelly Graziani Giacchero Vedana Copyright (c) 2021 SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas (Edição em Português) https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/193936 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300 Primeira ajuda em saúde mental: um contributo para uma sociedade mais saudável https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/193938 Carlos Sequeira Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/ https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/193938 Sex, 31 Dez 2021 00:00:00 -0300