Sobre as origens da concepção freudiana de ciências da natureza

Autores

  • Vitor ORQUIZA DE CARVALHO Universidade de São Paulo; Instituto de Psicologia; Programa de Pós-Graduação em Psicologia
  • Luiz Roberto MONZANI Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662015000400004

Resumo

O artigo examina algumas influências teóricas de Freud para recuperar os valores epistemológicos que subjazem à composição de sua concepção de ciência da natureza. Se, por um lado, Freud teve acesso ao pensamento de autores específicos (Brücke e Helmholtz, dentre outros) que participaram efetivamente dos caminhos percorridos pela psicologia em sua reivindicação de uma identidade científica, por meio de entrelaçamentos com a física e a fisiologia, por outro lado, ele também teve contato com certos filósofos (Brentano e Stuart Mill) que lhe permitiram uma aproximação a alguns defensores da cientificidade da psicologia que não abandonam o naturalismo, nem recorrem ao solo fisiológico. Nossa avaliação histórica constituiu-se como uma defesa de que Freud sofreu diversas influências no tocante ao status da psicologia no campo das ciências da natureza. A pluralidade dessas influências evoca uma necessidade de abertura para a avaliação do modo pelo qual podemos colocar em perspectiva a epistemologia e a concepção do naturalismo de Freud.

Downloads

Publicado

2015-12-01

Como Citar

CARVALHO, V. O. D., & MONZANI, L. R. (2015). Sobre as origens da concepção freudiana de ciências da natureza . Scientiae Studia, 13(4), 781-809. https://doi.org/10.1590/S1678-31662015000400004

Edição

Seção

Artigos