Progresso científico e incomensurabilidade em Thomas Kuhn

Autores

  • André Luis de Oliveira Mendonça Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Programa de Pós-Graduação em Filosofia
  • Antonio Augusto Passos Videira Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662007000200003

Palavras-chave:

Kuhn, Progresso científico, Incomensurabilidade, Paradigma

Resumo

Apesar das inúmeras críticas que recebeu ao longo de sua produção acadêmica, Thomas Kuhn produziu, inegavelmente, uma nova imagem acerca do progresso científico. A rigor, ele mostrou que o progresso ocorre em duas direções diferentes e complementares. Isso o levou a advogar a tese de que o desenvolvimento da ciência se dá por intermédio de uma tensão essencial entre o normal e o revolucionário. Segundo Kuhn, há o progresso no sentido de aprofundamento do conhecimento - proporcionado pela aquisição de um paradigma - e há o progresso no sentido de ampliação do conhecimento - gerado pela emergência da incomensurabilidade. O argumento central que desenvolvemos, neste artigo, afirma que o problema de Kuhn foi ter começado, com o passar do tempo, a pensar esses dois conceitos fundamentais (paradigma e incomensurabilidade) somente em suas conotações lingüísticas e teóricas.

Downloads

Publicado

2007-06-01

Como Citar

Mendonça, A. L. de O., & Videira, A. A. P. (2007). Progresso científico e incomensurabilidade em Thomas Kuhn . Scientiae Studia, 5(2), 169-183. https://doi.org/10.1590/S1678-31662007000200003

Edição

Seção

Artigos