A imparcialidade da ciência e as responsabilidades dos cientistas

Autores

  • Hugh Lacey Universidade de São Paulo; Departamento de Filosofia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662011000300003

Palavras-chave:

Imparcialidade, Investigação imparcial, Responsabilidade dos cientistas, Eficácia, Legitimidade, Riscos, Espaço dos efeitos, Espaço das alternativas

Resumo

Este artigo, utilizando a distinção entre o endossamento e a aceitação de uma reivindicação, discute as responsabilidades que os cientistas devem assumir frente à necessidade de agir, de formular políticas e de estipular regulamentos pertinentes às inovações científicas, quando decisões inevitavelmente serão baseadas, em parte importante, em reivindicações que são apenas endossadas (e, assim, comprometidas com valores éticos e sociais controversos), e não aceitas de acordo com a imparcialidade. Então, depois da introdução da noção de "investigação imparcial", chega-se à conclusão de que é da maior importância para os cientistas assumir a responsabilidade de conduzir a investigação imparcial, a qual requer, não a exclusão dos valores éticos e sociais de papeis indispensáveis na pesquisa científica, mas a inclusão - em seus lugares apropriados - do leque completo de valores relevantes para as deliberações democráticas.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Como Citar

Lacey, H. (2011). A imparcialidade da ciência e as responsabilidades dos cientistas . Scientiae Studia, 9(3), 487-500. https://doi.org/10.1590/S1678-31662011000300003

Edição

Seção

Artigos