Estrutura e função das imagens na ciência e na arte: entre a síntese e o holismo da forma, da força e da perturbação

Autores

  • Anne Marcovich Maison des Sciences de l'Homme
  • Terry Shinn Maison des Sciences de l'Homme; GEMAS

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662011000200002

Palavras-chave:

Imagem científica, Forma, Força, Perturbação, Imagem artística, Epistemologia, Instrumentação, Pesquisa em nanoescala

Resumo

Este artigo descreve primeiramente algumas categorias de imagens produzidas por instrumentos digitais, e presentes na pesquisa científica em nanoescala; explora como cada categoria de imagem é produzida; estuda os tipos de "conteúdo" das imagens e, finalmente, analisa seus usos nas práticas de pesquisa e seu lugar na cognição. Serão sugeridas três maneiras pelas quais as imagens figuram na operação epistemológica. Em segundo lugar, argumentamos que paralelos e dissimilaridades entre as imagens científicas e as imagens artísticas auxiliam a delinear algumas características gerais das imagens, além de chamar a atenção para particularidades importantes da imagem científica. Em terceiro lugar, examinamos as diferenças entre as imagens experimentais e as imagens por simulação nas pesquisas em nanoescala. E, finalmente, dirigimos nossa atenção para as operações epistemológicas, examinando, em ordem ascendente de significância, a introdução da cor para propósitos cognitivos, a seleção de imagens para exploração crítica e a operação designada "imagem/representação".

Downloads

Publicado

2011-01-01

Como Citar

Marcovich, A., & Shinn, T. (2011). Estrutura e função das imagens na ciência e na arte: entre a síntese e o holismo da forma, da força e da perturbação . Scientiae Studia, 9(2), 229-265. https://doi.org/10.1590/S1678-31662011000200002

Edição

Seção

Artigos