Uma história social do conceito de feminilidade na psicanálise de 1910 a 1930

Autores

  • Gustavo Rodrigues Rocha Universidade Estadual de Feira de Santana. Departamento de Física
  • Luana Fonseca da Silva Rocha Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana. Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências

DOI:

https://doi.org/10.11606/51678-31662017000100007

Palavras-chave:

Psicanálise. História das mulheres. Feminilidade. História da Psicologia. História da Psicanálise

Resumo

Este artigo examina o papel que teve a perspectiva da sociedade vitoriana do início do século xx sobre a mulher em moldar o conceito de feminilidade na psicanálise freudiana. Partimos dos trabalhos de Sigmund Freud e algumas de suas mais importantes ideias. A concepção de Freud sobre a feminilidade será então vista sob o contexto social e histórico mais amplo de seu tempo. Esse passo – que nos levará a examinar histéricas, mulheres médiuns, telegrafi stas, ativistas, telefonistas e datilógrafas – lançará algumas luzes sobre a concretude das abstrações da psicanálise a respeito das mulheres

Downloads

Publicado

2017-06-14

Como Citar

Rocha, G. R., & Rocha, L. F. da S. (2017). Uma história social do conceito de feminilidade na psicanálise de 1910 a 1930. Scientiae Studia, 15(1), 121-144. https://doi.org/10.11606/51678-31662017000100007

Edição

Seção

Artigos