A função adaptativa da transmissão cultural

Autores

  • Lorenzo Baravalle Universidade de São Paulo; Fundação de Amparo Pesquisa do Estado de São Paulo; Pós-doutorando do Departamento de Filosofia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662012000200004

Palavras-chave:

Adaptacionismo, Sociobiologia, Meme, Variante cultural, Mal-adaptação, Adaptação de segunda ordem

Resumo

O principal objetivo deste artigo é sugerir como podemos explicar a transmissão cultural dentro de um quadro evolucionista geral, aceitável da perspectiva naturalista. Para fazer isso, primeiro reconsiderarei duas das principais teorias que foram propostas com o mesmo objetivo, a saber, a sociobiologia e a memética. Em relação primeira, preservarei a ideia de que a origem dos traços culturais reside em uma adaptação biológica. Relativamente segunda teoria, aceitarei que há um sentido, em que os traços culturais são adaptados, que difere do simples "incremento da fitness biológica". O segundo objetivo, estreitamente relacionado com o primeiro, é explicar porque certos fenômenos culturais não biologicamente adaptativos, as mal-adaptações, mantêm-se e, assim, apresentar um esquema interpretativo adaptacionista, mas não genocêntrico, para a compreensão das dinâmicas culturais. A fim de articular minhas teses em uma proposta original, farei uso das ideias de Boyd e Richerson e introduzirei a distinção entre adaptações de primeira e de segunda ordem.

Downloads

Publicado

2012-01-01

Como Citar

Baravalle, L. (2012). A função adaptativa da transmissão cultural. Scientiae Studia, 10(2), 269-295. https://doi.org/10.1590/S1678-31662012000200004

Edição

Seção

Artigos