A revolução darwiniana na paleontologia e a ideia de progresso no processo evolutivo

Autores

  • Felipe Faria Universidade Federal do Rio de Janeiro; Grupo de Pesquisa de Paleoinvertebrados e Icnofósseis do Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662012000200005

Palavras-chave:

Progresso, Complexidade, Organização corporal, Evolução, Fósseis

Resumo

A ideia da existência de uma tendência dos organismos ao progressivo aumento de complexidade da organização corporal já se fazia presente em tempos anteriores ao evolucionismo. Com a aceitação das teorias evolutivas, vários naturalistas, e especialmente aqueles que trabalhavam com fósseis, passaram a defender a ocorrência de tal tendência no processo evolutivo. Essa nova forma de abordar a ideia de progresso na natureza recebeu várias interpretações até o momento do surgimento da síntese evolutiva moderna, que pouco espaço deixou para a existência de outro elemento orientador da evolução, que não fosse aquele proposto por Darwin.

Downloads

Publicado

2012-01-01

Como Citar

Faria, F. (2012). A revolução darwiniana na paleontologia e a ideia de progresso no processo evolutivo. Scientiae Studia, 10(2), 297-326. https://doi.org/10.1590/S1678-31662012000200005

Edição

Seção

Artigos