Perspectivismo na filosofia da ciência: um estudo de caso na física quântica

Autores

  • Décio Krause Universidade Federal de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Filosofia
  • Jonas Rafael Becker Arenhart Universidade Federal da Fronteira Sul; Departamento de Filosofia

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1678-31662013000100008

Resumo

Neste artigo, apresentaremos uma visão particular do desenvolvimento de teorias científicas que denominamos (inspirados em Ortega y Gasset) "perspectivismo". Discutiremos como, através desse enfoque, é possível compatibilizar diversas descrições aparentemente distintas e incompatíveis de uma suposta realidade que se investiga. Fazemos isso distinguindo entre a "realidade" (R) e a "descrição empírica da realidade" (Re). Aceitando que podemos ter diversas descrições empíricas de uma mesma realidade, discutimos o caso particular em que esse esquema é utilizado nos debates atuais acerca da ontologia da física quântica, em especial da mecânica quântica não relativista. Como se sabe, essa teoria é compatível com distintas ontologias (ou metafísicas), em particular, pode ser vista como comprometida com uma ontologia de indivíduos, mas também com uma ontologia de não indivíduos. Ambas as alternativas são plausíveis e merecem ser desenvolvidas. Propomos que o perspectivismo aqui apresentado é neutro com relação à escolha de uma metafísica (ontologia), bem como aos debates entre realistas e antirrealistas em filosofia da ciência. Concluímos que passar do pluralismo aceito pelo perspectivista ao realismo ou antirrealismo envolve comprometimento com teses mais robustas acerca da relação entre realidade e descrição da realidade.

Downloads

Publicado

2013-03-01

Como Citar

Krause, D., & Arenhart, J. R. B. (2013). Perspectivismo na filosofia da ciência: um estudo de caso na física quântica . Scientiae Studia, 11(1), 159-183. https://doi.org/10.1590/S1678-31662013000100008

Edição

Seção

Artigos