As marcas do tempo

Autores

  • Fernando Mesquita Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Palavras-chave:

marcas textuais temporais, Monteiro Lobato, ideologia escravista

Resumo

Conjugando instrumentos analíticos da Semiótica Tensiva de Zilberberger-Fontanille com elementos da biografia do escritor e dados da história literária e social da Primeira República, este ensaio busca mostrar — em contraste com o tempo atual — como as marcas de época discerníveis no texto de uma despretensiosa crônica do jovem Monteiro Lobato tanto revelam traços típicos do período assim como atestam a sobrevivência de construtos ideológicos anteriores, em particular da ideologia escravista

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Mesquita, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

é doutorando em Literatura Brasileira na Universidade de São Paulo e professor da Universidade Estadual de Mato Grosso

Downloads

Publicado

2002-12-26

Como Citar

Mesquita, F. (2002). As marcas do tempo. Teresa, (3), 186-214. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/121148

Edição

Seção

Ensaios