Gonçalves Dias, a escravidão e o tapete levantado

  • Wilton José Marques Universidade Federal de São Carlos e Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Palavras-chave: romantismo, Antônio Gonçalves Dias, Meditação, escravidão

Resumo

O artigo faz uma leitura de Meditação, de Antônio Gonçalves Dias, publicada na revista Guanabara ao longo do primeiro semestre de 1850. Nessa obra inacabada e ao contrário de seus pares românticos, o poeta critica a escravidão no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wilton José Marques, Universidade Federal de São Carlos e Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
é professor de Literatura Brasileira e Teoria Literária da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/Araraquara), autor de Gonçalvez Dias: o poeta na contramão (EDUFSCAR, 2010).
Publicado
2013-12-23
Como Citar
Marques, W. (2013). Gonçalves Dias, a escravidão e o tapete levantado. Teresa, (12-13), 469-482. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/teresa/article/view/99415