O escritor-tradutor: diálogos poéticos no texto traduzido. O caso de Mario Quintana tradutor de Proust

  • Sheila dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Brasil.
  • Luciana Rassier Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Brasil.
Palavras-chave: tradução criativa, escritor-tradutor, tradução antropofágica, Marcel Proust, Mario Quintana

Resumo

Este trabalho aborda a questão da liberdade criativa de escritores-tradutores em oposição a tradutores exclusivos, buscando entender a relação que tais agentes estabelecem com a tradução. Nesse âmbito, serão analisados os diálogos poéticos estabelecidos na tradução da obra Le côté de Guermantes (1920), de Marcel Proust, realizada por Mario Quintana e publicada no Brasil sob o título O Caminho de Guermantes (1953). Para tanto, serão utilizadas as reflexões de Antoine Berman (1984; 1995), bem como aportes de teóricos que acumulam, igualmente, as funções de escritor e tradutor e que refletiram acerca desse duplo ofício, como é o caso de Valéry Larbaud (1997) e Jean-Yves Masson (1990), além de reflexões do próprio Quintana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Brasil.
Língua e Literatura Estrangeiras/Estudos da Tradução
Luciana Rassier, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Brasil.
Língua e Literatura Estrangeiras/Estudos da Tradução
Publicado
2017-07-13
Como Citar
dos Santos, S., & Rassier, L. (2017). O escritor-tradutor: diálogos poéticos no texto traduzido. O caso de Mario Quintana tradutor de Proust. Tradterm, 29, 8-27. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v29i0p8-27
Seção
Artigos