Tradução coletiva e criativa do Entremés de la Ropavejera, de Quevedo y Villegas

Autores

  • Andréa Cesco Universidade Federal de Santa Catarina
  • Beatrice Távora Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p61-80

Palavras-chave:

Tradução coletiva, Tradução criativa, Entremés de la Ropavejera, Quevedo y Villegas

Resumo

A tradução coletiva é apontada por Haroldo de Campos (2010) como um dos caminhos possíveis para textos possuidores de alta complexidade e que, em princípio, seriam intraduzíveis. O trabalho de cooperação, através de uma equipe orientada para um alvo comum seria, segundo o autor, uma possibilidade de abordagem que poderia fomentar traduções criativas, voltadas para a manutenção do signo estético em detrimento de uma fidelidade ao significado textual. A partir destes postulados, este artigo se propõe a socializar a experiência de tradução coletiva do Entremés de la Ropavejera (1670), de Francisco de Quevedo y Villegas (1580-1645), realizada pelo Núcleo Quevedo de Estudos Literários e Traduções do Século de Ouro, da UFSC, enfatizando reflexões e escolhas envolvidas nesse processo. A história do entremez gira em torno da personagem ropavejera (remendeira), que atende na sua loja os clientes que chegam em busca de pomadas, postiços e ‘peças de reposição’ para remendar ou reparar em seus corpos o dano causado pela idade. As discussões acerca do processo tradutório do texto permitiram a elaboração de uma metodologia de trabalho que envolveu a utilização de vários recursos, como o acesso a dicionários especializados e de época, a consulta à crítica literária e à pesquisa histórica para a aproximação ao contexto de produção, que aqui são apresentados e discutidos. Pretende-se, desta forma, contribuir com a divulgação dos estudos sobre o Século de Ouro no cenário nacional.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréa Cesco, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Associada do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) e do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras da Universidade Federal de Santa Catarina. E-mail: andrea.cesco@gmail.com. O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nivel Superior - Brasil (Capes) - Código de Financiamento 001

Beatrice Távora, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina, bolsista Capes (PGET/UFSC/Capes).

Referências

AMÉRICO, E. V. O conceito de tradução na obra de Iúri Lotman: entre intraduzibilidade e liberdade. TradTerm, São Paulo, v. 24, 2014. pp. 17-33. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/96128. Acesso 10 jan. 2021.

ASENSIO, E. El itinerario del entremés, 2ª ed., Madrid: Editorial Gredos S.A., 1971.

CAMPOS, H. Metalinguagem e outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 2010.

CAUZ, F. A. Un Quevedo poco conocido. Boletín Cultural y Bibliográfico de la Biblioteca Luis Ángel Arango del Banco de la República, Colombia, n.11, 1966, pp. 2166-2169. Disponível em: https://publicaciones.banrepcultural.org/index.php/boletin_cultural/article/view/4543/4774. Acesso em: 10 jan. 2021.

CEBALLOS, E. Cómo escribir teatro. Historia y reglas de dramaturgia. Escenología ediciones, 2016.

DICCIONARIO DE AUTORIDADES DE LA REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Disponível em: http://www.rae.es/recursos/diccionarios/diccionarios-anteriores-1726-1996/diccionario-de-autoridades Acesso 10 jan. 2021.

GARCÍA, C. G.; YEBRA, V. G. (eds.). Manual de documentación para la traducción literaria. Madrid: Arco/Libros, S.L., 2005.

HERNÁNDEZ, J. L. A. Transformaciones carnavalescas en los Entremeses de Quevedo, in Foro Hispánico, 19, En torno al teatro breve. Amsterdam - Atlanta, Rodopi, 2001. pp. 41-53. Disponível em: https://brill.com/view/title/29723. Acesso em: 10 jan. 2021.

JANDOVÁ, J. La creatividad del traductor literario y la ilusión de traducción. Literatura: teoría, historia, crítica. Colombia, v. 19, n. 2, pp. 291-314, 2017. Disponível em: https://revistas.unal.edu.co/index.php/lthc/issue/view/4660/showToc. Acesso 10 jan. 2021.

JIMÉNEZ, F. B. P.; CAÑAL, R. G.; MARCELLO, E. E. (ed.). El entremés y sus intérpretes: XXXVIII Jornadas de teatro clásico, Almagro, 2015. Cuenca [España]: Ediciones de la Universidad de Castilla-La Mancha, 2017.

JOSA, D.; LAMBEA, M. Señas de una belleza superior o las representaciones del cuerpo en el tono humano barroco, in Desvelando el cuerpo. Perspectivas desde las ciencias sociales y humanas. MARTÍ, J.; AIXELÀ, Y. (coords.), Barcelona: Digital CSIC, 2010, pp. 181-200. Disponível em: http://hdl.handle.net/10261/22355. Acesso em: 10 jan. 2021.

LÓPEZ, V. R. “QUEVEDO, Francisco de. Teatro completo”, Criticón, 114. pp. 225-228. Disponível em: https://journals.openedition.org/criticon/1456. Acesso em: 10 jan. 2021.

MAESTRO, J. G. Las formas de lo cómico en los entremeses de Quevedo, in La perinola. Revista de Investigación Quevediana, n. 12, 2008. pp. 79-105. Disponível em: https://revistas.unav.edu/index.php/la-perinola/article/view/27941. Acesso em: 10 jan. 2021.

MARTÍNEZ-LÓPEZ, M. J. M. El entremés. Radiografía de un género. Anejos de Criticón, 9, Toulouse, Presses Universitaires Du Mirail, 1997.

OSORIO, O. La Jácara del Escarramán, de Quevedo. Poligramas, n. 21, 2004, pp.93-119. Disponível em: http://hdl.handle.net/10893/2882. Acesso em: 10 jan. 2021.

PRIEDE, J. Los ojos del lenguaje - quince años de trabajo en torno a la traducción entendida como creación literaria, in Boletín del Taller de Traducción Literaria de la Universidad de La Laguna, febrero de 2012.

QUERIDO, A. M. Investigando Jerônimos: A representação do tradutor como personagem em narrativas contemporâneas. Universidade de Brasília, 2011. Tese de doutorado em Literatura. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/11103/1/2011_AlessandraMatiasQuerido.pdf. Acesso em: 10 jan. 2021.

QUEVEDO Y VILLEGAS, F. El Entremés de la Ropavejera, Edição crítica de Ignacio Arellano e Celsa Carmen García Valdés (GRISO, Universidad de Navarra), in La Perinola. Revista de Investigación Quevediana, 5, 2001. pp. 25-38. Disponível em: https://revistas.unav.edu/index.php/la-perinola/article/view/28129. Acesso em: 10 jan. 2021.

RÓNAI, P. A tradução vivida. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

VERSTEEG, M. (coord.). Introducción: una placentera exploración por el variopinto panorama del teatro breve, in Foro Hispánico, 19, En torno al teatro breve. Amsterdam - Atlanta, Rodopi, 2001. pp. 7-10. Disponível em https://brill.com/view/title/29723. Acesso em: 10 jan. 2021.

ZAMORANO, M. Á. (org.). Teatro Breve do Século de Ouro. 1ª ed. São Paulo: Perspectiva, Brasília, DF: CNPq, 2020.

Downloads

Publicado

2021-02-23

Como Citar

Cesco, A., & Távora, B. (2021). Tradução coletiva e criativa do Entremés de la Ropavejera, de Quevedo y Villegas. Tradterm, 38, 61-80. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p61-80

Edição

Seção

Número Especial III JOTA