A Blancanieves Andaluza de Pablo Berger: Tradução e Intermidialidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p234-251

Palavras-chave:

Estudos da tradução, Intermedialidade, Cinema espanhol, Flamenco, Tradição oral

Resumo

Em 2012, Schneewittchen – ou Branca de Neve, como a conhecemos em português –, dos irmãos Jacob e Wilhelm Grimm (1812), ganha mais uma releitura. O filme Blancanieves, do diretor Pablo Berger, é inspirado no conto (mais especificamente, Märchen) recolhido da tradição oral pelos filólogos alemães. A proposta deste artigo é, partir de duas traduções para o português do Brasil, a saber, a de Tatiana Belinky (2013) e a de Christine Röhrig (2014), examinar as relações intermidiáticas entre as obras literária e cinematográfica à luz dos estudos de Irina Rajewsky (2012) e Claus Clüver (2011), principalmente, no que se refere à caracterização da personagem principal, Branca de Neve, de seus pais, do lugar e da época onde ocorre a ação tanto do conto quanto do filme. Na produção de Berger, personagens, espaço e tempo contidos na obra dos Grimm são evidentemente ressignificados a partir de elementos do flamenco e das touradas, associados à cultura tradicional cigana presente, por sua vez, na tradição popular do sul da Espanha. A presença desses elementos faz com que a obra dialogue com outras produções bastante conhecidas sobre tais temáticas e os estereótipos que se perpetuam em relação a elas tanto na Espanha quanto fora dela ao longo de séculos. Analiso como ocorre o processo de ressignificação e de que modo ela discute ou não conceitos e preconceitos sobre elementos populares e tradicionais muito associados ao que se costuma entender por ‘cultura espanhola’, principalmente a partir do apoio teórico de Rafael Jover (2007), Francisco Aix Gracia (2002) e Gerhard Steingresse (2002).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roseli Barros Cunha, Universidade Federal do Ceará

Professora Associada da Área de Espanhol do Departamento de Letras Estrangeiras, membro efetivo do Programa de Pós-Graduação em Letras (Literatura Comparada) e editora-chefe da Transversal - Revista em Tradução. Pós-Doutora em Estudos Literários e da Tradução na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/PósLit) (2016-2017). Doutora em Letras (Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana) - Universidade de São Paulo (2005). Mestre em Letras (Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana) - Universidade de São Paulo (1999). Licenciada em Letras Português- Espanhol pela Universidade de São Paulo (1997). Graduada em Letras Português - Espanhol pela Universidade de São Paulo (1993). Graduada em Artes (1989). Experiência na área de Letras (língua, literatura, ensino e tradução), como docente e pesquisadora, com ênfase em Literaturas Latino-Americanas. Criadora e coordenadora do GELTTE (Grupo de Estudos de Literatura, Tradução e suas Teorias) da UFC/CNPq desde 2010. Autora de Aves sem ninho, de Clorinda Matto de Turner. Tradução, notas e estudo crítico (2019) eTransculturação narrativa: seu percurso na obra crítica de Ángel Rama (2007). Tradutora de Terra sem Mapa (2008), de Ángel Rama. Organizadora de Tinkuy, encontro com a literatura e cultura peruanas (2016). Autora de vários artigos científicos e capítulos de livros sobre literatura, cultura e tradução na América Latina.

Referências

AIX GRACIA, F. El arte flamenco como campo de producción cultural. Aproximaciones a sus aspectos sociales. Anduli - Revista Andaluza de Ciencias Sociales. n. 1, 2002, p. 109-125.

BLANCANIEVES. Direção: Pablo Berger. Produção: Ibon Cornenzana, Jérôme Vidal e Pablo Berger. Intérpretes: Maribel Verdú, Daniel Gimenéz Cacho, Pere Ponce, José María Pou, Inma Cuesta, Ángela Molina, Sofía Oria, Macarena García. Roteiro: Pablo Berger. Arcadia Motion Picture, 2012, 1 DVD (aprox. 104 min.), mudo, P&B. Distribuidor: Imovision, 2013.

CLÜVER, C. Intermidialidade. Aletria. Revista de Estudos de Literatura. Belo Horizonte: UFMG, v. 1, n. 2, p.3-23. nov. 2011.

CORREA NAVARRETE, T. Religiosidad y moral en el mundo gitano, 2016. https://silo.tips/download/religiosidad-y-moral-en-el-mundo-gitano. Acesso em: 15.01.2021.

JOVER OLIVER, R. Andalucía desde Berlín: Carmen la de Triana. Frame: Revista de cine de la Biblioteca de la Facultad de Comunicación, n. 1, 2007, p. 162-177.

GRIMM, J.; GRIMM, W. Branca de Neve. Tradução Tatiana Belinky. São Paulo: Editora Melhoramentos, 2013.

GRIMM, J.; GRIMM, W. “Branca de Neve”. In: GRIMM, J.; GRIMM, W. Contos maravilhosos, infantis e domésticos. Tradução Cristine Röhrig. São Paulo: Editora Cosac Naify, 2014, p. 634-740.

RAJEWSKY, I. Intermidialidade, Intertextualidade e “Remediação”. Uma Perspectiva Literária sobre a Intermidialidade. Tradução Thaïs F.N. Diniz e Eliana L. L. Reis. In: DINIZ, Thaïs F. N (Org.). Intermidialidade e Estudos Interartes. Desafios da arte contemporânea. Belo Horizonte Editora da UFMG, 2012, p. 15-45.

STEINGRESSE, G. El flamenco como patrimonio cultural o una construcción artificial más de la identidad andaluza. Anduli - Revista Andaluza de Ciencias Sociales. n. 1, 2002, p. 43-64.

Downloads

Publicado

2021-02-23

Como Citar

Cunha, R. B. (2021). A Blancanieves Andaluza de Pablo Berger: Tradução e Intermidialidade . Tradterm, 38, 234-251. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p234-251

Edição

Seção

Número Especial III JOTA