A adaptação da narrativa-game de Halliday’s Easter Egg Hunt para o filme Ready Player One

Autores

  • Fernanda Martins Ferreira de Araujo Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Líliam Cristina Marins Universidade Estadual de Maringá http://orcid.org/0000-0002-9954-4985

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p217-233

Palavras-chave:

Adaptação, Cinema, Ready Player One, Cline, Easter Egg Hunt, Videogame

Resumo

O videogame fictício Halliday’s Easter Egg Hunt, presente no romance Ready Player One (Cline, 2011), é uma ode ao universo geek da década de 1980, uma vez que apresenta, no formato de Easter Eggs, elementos culturais (principalmente filmes e jogos) da década mencionada. No ano de 2018, o estúdio Warner Brothers lançou a adaptação cinematográfica desse romance, questionando a afirmação de Cline sobre a inadaptabilidade de sua obra. O presente trabalho propõe uma análise das soluções encontradas pelos adaptadores, considerados como co-criadores nesta abordagem (Hutcheon, 2013), ao adaptar a narrativa-game (Aarseth, 1997; 2005) apresentada no livro para a estética cinematográfica. A análise da adaptação demonstrou que tanto a estética cinematográfica (Edgar-Hunt, Marland e Rawle, 2010; Bordwell e Thompson, 2013) quanto os princípios estruturais de um game nortearam a transformação do meio impresso para o cinematográfico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Martins Ferreira de Araujo, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Licenciada em Letras Inglês e Literaturas Correspondentes, com Bacharelado em Tradução pela Universidade Estadual de Maringá (2015-2020). Atualmente é Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Letras Estrangeiras e Tradução na Universidade de São Paulo (LETRA/USP), com pesquisa concentrada nos estudos da Tradução e Recepção de textos de autoria feminina. Desenvolveu dois Projetos de Iniciação Científica (PIC), sendo o mais recente na área de Tradução e Adaptação, intitulado A caça aos ovos: a adaptação da narrativa do jogo Halliday’s Easter Egg Hunt para o filme Ready Player One.

Líliam Cristina Marins, Universidade Estadual de Maringá

Graduada em Letras habilitação Português-Inglês/UEM (2007), Mestre em Letras/UEM (2010) e Doutora em Letras/UEM (2013). Atualmente é professora Assistente do quadro efetivo do Departamento de Letras Modernas da Universidade Estadual de Maringá e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da referida instituição. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Inglesa, atuando principalmente nos seguintes temas: formação do leitor, literaturas de língua inglesa, tradução e leitura.  

Referências

AARSETH, E. Doors and Perception: Fiction vs. Simulation in Games. In: Intermédialités: Histoire et théorie des arts, des lettres et des techniques. n. 9, 2007, p. 35-44.

AARSETH, E. Ergodic Literature. In: AARSETH, E. Cybertext: Perspectives on Ergodic Literature. Sample chapter. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1997. p. 1-15.

AARSETH, E. From Hunt the Wumpus to EverQuest: Introduction to Quest Theory. In: Proceedings, Entertainment Computing - ICEC 2005: 4th International Conference, Sanda, Japan, September 19-21, 2005. Lecture Notes in Computer Science, Springer 2005, p. 1-11.

BORDWELL, D.; THOMPSON; K. A arte do cinema: uma introdução. Trad. Roberta Gregoli. São Paulo: EDIUSP, 2013.

CLINE, E. Jogador Número Um. Trad. Carolina Caires Coelho. São Paulo: LeYa, 2012.

CLINE, E. Ready Player One. New York: Broadway Books, 2011.

DINIZ, T. Tradução Intersemiótica: do texto para a tela. Cadernos de Tradução, n. 3, Florianópolis, 1998, p. 313-338.

EDGAR-HUNT, R.; MARLAND, J.; RAWLE, S. Basic Film-making: the language of film. London: AVA, 2010.

HATTNHER, Á. Quem mexeu no meu texto: observações sobre literatura e sua adaptação para outros suportes textuais. Revista Brasileira de Literatura Comparada, São Paulo, n.16, p. 145-155, 2010.

HATTNHER, Á. Literatura, Cinema e Outras Arquiteturas Textuais: algumas observações sobre Teorias da Adaptação. Itinerários Araraquara, n.36, p. 35-44, jan./jun. 2013.

HUTCHEON, L. A Theory of Adaptation. 2ª Ed. New York: Routledge, 2013.

HUTCHEON, L. Uma teoria da adaptação. Trad. André Cechinel. 2ª Ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2013.

JENKINS, H. A cultura da convergência. 2ª ed. Trad. Susana Alexandria. São Paulo: Aleph, 2009.

MCKEE, R. Story: substância, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiro. trad. Chico Marés. Curitiba: Ares & Letras, 2006.

MCKEE, R. Story: substance, structure, style and the principles of screenwriting. New York: ReganBooks, 1997.

READY PLAYER ONE. Direção: Steven Spielberg. Produção: Steven Spielberg. Roteiro: Zak Penn e Ernest Cline. Los Angeles: Warner Brothers, c2018. 1 DVD (140 min), widescreen, color. Produzido por Warner Video Home. Baseado na novela “Ready Player One” de Ernest Cline.

ROUSE, R. Game Design: Theory and Practice. 2. ed. Texas: Wordware Game Developer’s Library, 2005.

SANTAELLA, L. Da cultura das mídias à cibercultura: o advento do pós-humano. Revista Famecos. Porto Alegre, n. 22, dez 2003, p. 23-32.

SKOLNICK, E. Video Game Storytelling: What Every Developer Needs to Know about Narrative Techniques. Nova York: Watson-Guptill Publications, 2014.

Downloads

Publicado

2021-02-23

Como Citar

Araujo, F. M. F. de, & Marins, L. C. (2021). A adaptação da narrativa-game de Halliday’s Easter Egg Hunt para o filme Ready Player One. Tradterm, 38, 217-233. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p217-233

Edição

Seção

Número Especial III JOTA