Os desafios de traduzir o humor político para o português: escolhas tradutórias para Tutta Casa, Letto e Chiesa, de Franca Rame e Dario Fo

Autores

  • Amanda Bruno de Mello Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p81-90

Palavras-chave:

Tradução, Teatro, Humor, Dario Fo e Franca Rame, Tutta Casa, Letto e Chiesa

Resumo

A peça Tutta Casa, Letto e Chiesa (1977) de Franca Rame e Dario Fo, é uma peça composta por seis monólogos para uma atriz, escrita em um período de grande polarização política na Itália. Seu fio condutor é a condição da mulher, assim como a luta por maior igualdade. Os monólogos possuem um tom cômico, elementos épicos e relação com o contexto político italiano da época. Traduzi-los para o português foi desafiador por vários motivos, muitos dos quais se relacionam ao dilema de conciliar elementos antagônicos: o espectador deve ter certa familiaridade com os temas tratados para que o riso possa acontecer, como teoriza Bergson (2020); além da importância de manter, na tradução, as referências ao contexto político em que o espetáculo foi escrito. Este trabalho analisa três situações em que esse dilema se manifestou, apresenta as escolhas tradutórias tomadas e suas justificativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Bruno de Mello, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre em Letras: Estudos Literários pelo Pós-Lit/UFMG e doutoranda na mesma instituição, com bolsa CAPES.

Referências

BARBOSA, T. V. R. O tradutor de teatro e seu papel. Itinerários, n. 38, Araraquara, 2014, pp. 27-46. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/itinerarios/article/view/7212. Acesso em: 15 jan. 2021.

BERGSON, H. O riso: Ensaio Sobre o Significado do Cômico. Trad. Maria Adriana Camargo Cappello. São Paulo: Edipro, 2020.

BERMAN, A. A Tradução e a Letra, ou o Albergue do Longínquo. Trad. Marie-Hélène Catherine Torres; Mauri Furlan; Andréia Guerini. Rio de Janeiro: 7Letras/PGET, 2007.

ECO, U. Quase a mesma coisa: Experiências de Tradução. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Record, 2007.

LINHARES, J. Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”. Veja, São Paulo, n. 2474, p. 28, 21 abr. 2016.

MELLO, A. B. Bela, depravada e do lar: como traduzir(am) Tutta casa, letto e chiesa, de Franca Rame e Dario Fo, no Brasil. 2019. 195p. Dissertação (Mestrado em Letras: Estudos Literários) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

RAME, F.; FO, D. Tutta Casa, Letto e Chiesa. Milão: Fabbri Editori, 2006.

RAME, F.; FO, D. A mãe Porra Louca. Trad. Michele Piccoli e Roberto Vignati. Rio de Janeiro: s. e., 1984.

ROSAS, M. Por uma teoria da tradução do humor. D.E.L.T.A., n. 19, p. 133-161, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/delta/v19nspe/09.pdf . Acesso em: 15 jan. 2021.

NOBEL PRIZE. The Nobel Prize in Literature 1997. NobelPrize.org. Nobel Media AB 2020. Disponível em: https://www.nobelprize.org/prizes/literature/1997/summary/. Acesso 15 jan. 2021.

TOROP, P. La traduzione totale: Tipi di Processo Traduttivo nella Cultura. Edizione italiana a cura di Bruno Osimo. Milão: Hoepli, 2010.

Downloads

Publicado

2021-02-23

Como Citar

Mello, A. B. de. (2021). Os desafios de traduzir o humor político para o português: escolhas tradutórias para Tutta Casa, Letto e Chiesa, de Franca Rame e Dario Fo. Tradterm, 38, 81-90. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v38p81-90

Edição

Seção

Número Especial III JOTA