Voto assimétrico, classes e mobilidade social no Brasil

  • Carlos Antonio Costa Ribeiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Estudos Sociais e Políticos http://orcid.org/0000-0002-9031-4665
  • Vinícius Pinheiro Israel Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Classes Sociais, Mobilidade Social, Voto

Resumo

Este artigo analisa a relação entre a estrutura de classes, os padrões de mobilidade social dos eleitores e a declaração retrospectiva de voto no segundo turno da eleição presidencial de 2006. As análises permitem discutir a hipótese do voto assimétrico, segundo a qual a correlação entre classes sociais e voto é mediada pelos padrões de mobilidade intergeracional ascendente e descendente. Outras hipóteses correlatas também são discutidas a partir das análises empíricas, que são todas baseadas na estimação de modelos hierárquicos bayesianos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Antonio Costa Ribeiro, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Estudos Sociais e Políticos
Professor e pesquisador do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (Iesp) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e PhD em sociologia pela Columbia University. Foi pesquisador convidado do Center for Advanced Study in the Behavioral Sciences (casbs) da Stanford University.
Vinícius Pinheiro Israel, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Pofessor do Departamento de Métodos Estatísticos da UFRJ e doutorando em sociologia pelo IESP-UERJ, possui formação multidisciplinar, sendo graduado em matemática (UFRJ) e em ciências sociais (UERJ), com mestrado em métodos numéricos e doutorado em estatística, ambos pela UFRJ.
Publicado
2016-09-06
Como Citar
Ribeiro, C. A., & Israel, V. (2016). Voto assimétrico, classes e mobilidade social no Brasil. Tempo Social, 28(2), 105-130. https://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2016.110049
Seção
Dossiê - Classes Sociais e Desigualdades: sociabilidade, cultura, política